Boletim eletrônico Nº 662 - Ano XIII - 22 a 29 de setembro de 2017.

institutobrasileirodemuseus

www.museus.gov.br

---

11ª Primavera dos Museus segue até domingo (24)

PrimaveraMuseus2017_Cartaz_A3

Com atividades até o domingo (24), a 11ª Primavera dos Museus teve o maior número de instituições participantes desde a sua criação em 2007. A partir do tema "Museus e suas memórias”, foram 932 instituições culturais inscritas, com 2,5 mil atividades culturais programadas em 417 cidades de 25 estados e Distrito Federal.

Confira o guia online da programação com todos os eventos programados.

No sábado (23), o Museu da Inconfidência/Ibram, em Ouro Preto (MG) oferece, pela manhã, a oficina "Brincando com a história: os brinquedos como objetos culturais e exercícios lúdicos", que visa estimular a reflexão das crianças sobre os brinquedos como objetos culturais e artefatos metodológicos para trabalhar a memória.

No Rio de Janeiro, o Museu Histórico Nacional (MHN/Ibram) realizará, também no sábado, às 14h30, um encontro com os curadores da exposição temporária "Histórias fora da ordem".

Na ocasião, Beatriz Pimenta e Luciano Vinhosa irão apresentar os detalhes das criações artísticas contemporâneas instaladas no circuito de longa duração e em diálogo com o acervo do MHN.

Coordenada pelo Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), a temporada de eventos, que celebra o início da primavera, visa aumentar o público que frequenta museus, assim como fortalecer os laços entre os museus e a sociedade.

---

Museu Lasar Segall comemora 50 anos de criação e homenageia seu fundador

170913_MLS50anosLOGO-RIC

O Museu Lasar Segall/Ibram, em São Paulo (SP), inaugura amanhã (23), a exposição "1967 – 2017 Museu Lasar Segall – 50 anos", como parte das comemorações do cinquentenário da instituição, e faz homenagem a Maurício Segall, falecido em julho deste ano, que dirigiu por 30 anos o museu.

Por meio dos acervos artísticos, bibliográficos e arquivísticos, a mostra será ilustrada por projetos como a exposição "Por caminhadas ainda mais distantes – as emigrações artísticas de Lasar Segall", ocorrida em 1997 nos EUA (Chicago e Nova Iorque), e em 1998 em Paris (França).

A programação de aniversário inclui ainda a apresentação do Coral Escola Comunicantus, às 15h, e um Ciclo de Debates, que acontece de 4 a 7 de outubro e terá o presidente do Ibram, Marcelo Araujo, como debatedor em uma das mesas. Confira a programação completa.

Uma família pela arte
A trajetória da instituição teve início em 1957. Com o falecimento de Lasar Segall (1889-1957), a viúva do artista, Jenny Klabin Segall (1899-1967), idealiza o museu e inicia o trabalho de conservação e autenticação de obras não assinadas.

Durante 10 anos, os filhos Maurício Segall (1926-2017) e Oscar Klabin Segall (1930-2002), além do fotógrafo Luiz Hossaka (1928-2009), organizam os documentos relativos às obras da coleção, cujo trabalho resultou em uma série de exposições póstumas de obras de Segall.

Semanas antes da abertura oficial do museu na residência da família na Vila Mariana, em 21 de setembro de 1967, Jenny Segall falece, ficando então sob o cuidado dos filhos as ações para a formação do Museu Lasar Segall, sendo Maurício Segall o primeiro diretor.

O museu, quem tem como missão preservar, estudar e divulgar a obra de Lasar Segall, foi além e traçou, nesse meio século, um perfil de caráter experimental, considerado pioneiro no campo museal brasileiro, destacando-se como espaço dinâmico no campo das artes visuais, da ação educativa, nas áreas de literatura, música, cinema e teatro. Saiba mais sobre o Museu Lasar Segall.

---

Museus e suas memórias: conheça o projeto de memória institucional do Museu da Abolição em PE

Museu da Abolição aposta na participação ativa da comunidade

A comunidade cada dia mais próxima ao museu. Essa é uma das pautas que o Museu da Abolição (MAB/Ibram), em Recife (PE), aposta para realizar suas atividades.

Em desenvolvimento, o projeto de memória institucional do museu acontece em paralelo aos projetos de reforma, restauro e definição da nova exposição de longa duração.

“Dentro do projeto expográfico está desenhado o Memorial do MAB. A proposta é exibir informações relativas ao contexto histórico do Sobrado da Madalena: origem, história, usos ao longo do tempo e transformações sofridas por conta de reformas e restauros”, explica a diretora do museu, Maria Elisabete Arruda.

“Serão produzidos também conteúdos sobre a história do museu e do seu acervo, assim como nossas atividades pautadas na sociomuseologia”.

A memória de ações recentes também estão incluídas no projeto: novas aquisições, doações recebidas da Receita Federal, assim como o Concurso de Fotografia Mestre Luis de França e o Projeto Selos.

Museu em processo
Em 2005, os resultados do Seminário “O museu que nós queremos” foi determinante para a participação social nas atividades do MAB, tendo impactado diretamente na revisão do Plano Museológico da instituição.

“O seminário definiu a perspectiva de o museu narrar a participação do negro e da abolição na história e cultura brasileiras, reafirmando a importância do MAB se estabelecer como um centro de referência da cultura afro-brasileira”, conta a diretora.

Outro desdobramento do seminário aconteceu em 2010, com o projeto “Exposição em processo”, que teve a participação de grupos religiosos, culturais e estudantes. O público era convidado a interferir na exposição com sugestões e críticas. Saiba mais.

“Hoje o museu representa não mais a memória de um grupo de pessoas tido como ‘ilustres’, por papéis desempenhados no processo oficial da abolição do século XIX, mas também um importante espaço de inserção das comunidades afrodescendentes na construção de suas narrativas”, acredita Daiane Carvalho, Museóloga do MAB.

Visite a página web do Museu da Abolição para mais informações.

---

Histórias e memórias dos museus Ibram em Goiás foram tema de palestra

SteliaBraga1_Palestra_Primaveramuseus2017

Com quantas histórias se constrói a memória de um museu? No caso dos museus ligados ao Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) em Goiás, elas são muitas.

Com o tema Narrativas da memória: Goiás entre museus e muros simbólicos, Stélia Braga (foto), diretora das três unidades Ibram no Estado, apresentou em Brasília (DF), na terça-feira (19), um recorte sobre como os museus também constroem suas memórias a partir da experiência local.

O Museu das Bandeiras, o Museu de Arte Sacra da Boa Morte e o Museu Casa da Princesa, respectivamente nas cidades de Goiás e Pilar de Goiás, ocupam edificações históricas nas cidades e, portanto, trazem consigo memórias que acabam por ser incorporadas e reinterpretadas.

Novas apropriações
O edifício do Museu das Bandeiras, por exemplo, que foi Casa de Câmara e Cadeia até o começo do século XX, esteve recentemente ocupado por uma ação de “cinema expandido”: a proposta foi levar ao público um ambiente imersivo, no qual se destacaram os temas do aprisionamento e do sofrimento. Saiba mais.

Stélia Braga chama de “novas apropriações sociais do patrimônio cultural” ações desse tipo, apontando que um olhar contemporâneo para o museu deve abarcar tanto questões relativas à ocupação bandeirante na região Centro-Oeste quanto “enfatizar as contribuições dos diversos segmentos sociais presentes neste processo”. Continue lendo.

A atividade integra a programação da 11ª Primavera dos Museus, que acontece até domingo (24) em todo o Brasil.

---

Museu da Inconfidência: nova diretora tomou posse em Ouro Preto (MG)

Deise_Lustosa_Inconfidencia

A nova diretora do Museu da Inconfidência (Ibram/MinC), Deise Cavalcanti Lustosa (foto), tomou posse no cargo na segunda-feira (18), em Ouro Preto (MG), após seleção em chamamento público organizado pelo Instituto Brasileiro de Museus (Ibram).

Ela substituirá o escritor e membro da Academia Mineira de Letras Rui Mourão, que solicitou aposentadoria após dirigir a unidade por 43 anos.

Natural do Rio de Janeiro, e residente na histórica cidade mineira, Deise Lustosa é arquiteta pela Faculdade Metodista Izabela Hendrix, especialista em Cultura e Arte Barroca pela Universidade Federal de Ouro Preto (Ufop) e em Conservação e Restauração de Monumentos e Conjuntos Históricos pela Universidade Federal da Bahia (UFBA).

Foi sócia-proprietária da MD Arquitetura e Consultoria Ltda. e atuou em inúmeros projetos de conservação e restauração, com destaque para bens tombados pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan/MinC) – dentro do Programa PAC das Cidades Históricas em Mariana (MG).

Entre outras experiências profissionais, foi diretora administrativa do Museu do Oratório por 10 anos. Também participou da criação e implantação do Sistema de Museus de Ouro Preto e foi presidente e diretora da Fundação de Arte de Ouro Preto (Faop) e diretora de Conservação e Restauração do Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais (IEPHA).

Viste a página web do Museu da Inconfidência para mais informações.

---

Fomento: DF recebe inscrições de projetos na área de Patrimônio até 9 de outubro

Segue até 9 de outubro o prazo para a inscrição de projetos na área de Patrimônio Histórico e Artístico em edital do Fundo de Apoio à Cultura (FAC) do Distrito Federal (DF).

O edital FAC Áreas Culturais, cujo valor total é de R$ 24,1 milhões, selecionará iniciativas em diversas formas de manifestação cultural e entre  elas está a área de Patrimônio Histórico e Artístico Material e imaterial. São R$ 1,2 milhão exclusivos para a área.

"Conseguimos este ano dobrar o montante de recursos para a linha de patrimônio e incluímos, pela primeira vez, uma sublinha específica que contempla a área de museus", explica Gustavo Pacheco, subsecretário do Patrimônio Cultural do DF.

Além de Expografia e Acervos Museológicos, são aceitos projetos para Pesquisa, Inventário e Publicação, Educação Patrimonial e Eventos. Confira as Linhas de Apoio e Requisitos específicos. Acesse o edital na íntegra.

 

Agendas

Achados da Leopoldina: arqueologia urbana na era digital

O quê: A exposição é uma oportunidade única para vivenciar, de forma interativa e acessível, a coleção de peças encontradas no sítio arqueológico do Matadouro Público de São Cristóvão (Matadouro Imperial) durante as obras de implantação da fábrica de aduelas (anéis de concreto) para a expansão da malha metroviária carioca. Essas preciosidades serão novamente descobertas, agora em formato virtual e multissensorial, na mostra montada no Museu Histórico Nacional.
Quando: Até 5 de novembro, de terça a sexta, das 10h às 17h30/ sábados, domingos e feriados, das 13h às 17h.
Onde: Museu Histórico Nacional (Praça Marechal Âncora, s/nº - Centro | Rio de Janeiro - RJ)
Informações: (21) 3299-0324

---

Protesto do Bem

O quê: A exposição integra campanha em benefício ao Grupo de Apoio ao Adolescente e à Criança com Câncer (GRAACC). Na exposição o público conhecerá a história dos Cartórios de Protesto, do Protesto do Bem, do TJSP e do GRAACC. Poderá produzir e postar vídeos com a #meuprotestodobem em suas redes sociais ou tirar fotos e gravar vídeos na frente de um painel em forma de asas de anjo – símbolo da campanha.  Os visitantes também poderão gravar depoimentos que serão exibidos em um grande telão.
Quando: Até 5 de outubro, das 11h às 17h.
Onde: Salão Nobre do TJSP (Praça da Sé, s/nº - 2º andar – Centro | São Paulo - SP)
Informações: (11) 3596-5615 ou 5631

---

Lançamento do livro ‘Cultura Viva Comunitária – Políticas Culturais no Brasil e na América Latina’

O quê: De Alexandre Santini, a publicação faz uma análise da história das políticas culturais desenvolvidas no Brasil no século XX e nas primeiras décadas do século XXI. Debatem com o autor, Deborah Rebello Lima e Mario Rodriguez, com mediação de Mario Chagas - Assessor do Museu da República e professor da UNIRIO, que tem contribuído para a para a teoria e a prática da Museologia Social.
Quando: 26 de setembro, das 18h às 20h. Entrada franca.
Onde: Espaço Multimídia do Museu da República (Rua do Catete, 153 | Rio de Janeiro - RJ)
Informações: (21) 2127-0341

---

VIII Sarau Café e Musica no Museu

O quê: Encerrando a 11ª Primavera dos Museus, a Escola de Música da Universidade Católica de Petrópolis, apresentará no Cine Teatro Museu Imperial o “VIII Sarau Café e Música no Museu”. O espetáculo contará com a participação especial do pianista Ernesto Hartmann que tocará obras brasileiras de expressão do século XX e XXI.
Quando: 24 de setembro, às 16h. Entrada franca.
Onde: Museu Imperial/Ibram (Rua da Imperatriz, 220 – Centro | Petrópolis - RJ)
Informações: (24) 2233-0300 ou 0360 | mimp.faleconosco@museus.gov.br

 

Cursos e oficinas

Memória & Informação

O quê: Palestra "As humanidades Digitais e a (re)produção do conhecimento: sobre extensões, visibilidades e memória", ministrada por Ricardo Pimenta, pesquisador do Instituto Brasileiro de Informação.
Quando: 27 de setembro, às 14h30. Entrada franca.
Onde: Fundação Casa de Rui Barbosa (Rua São Clemente 134, Botafogo | Rio de Janeiro - RJ)
Informações: (21) 3289-8696 ou 8695

---

Serviço Educativo - rotinas e desafios

O quê: o Museu Casa de Portinari, em Brodowski (SP) – instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo gerida pela ACAM Portinari – realizará uma palestra com o tema: Serviço Educativo - Rotinas e Desafios, para profissionais de museus e interessados. No encontro serão abordados aspectos relacionados ao atendimento dos públicos escolar, geral e específico – idosos, deficientes, e em situação de vulnerabilidade – e procedimentos como acolhimento, agendamento, atividades complementares, pesquisas e avaliações.
Quando: 26 de setembro, às 16h. Entrada franca.
Onde: Museu Casa de Portinari (Praça Candido Portinari, nº 298 - Centro | Brodowski - SP)
Informações: (16) 3664-4284 - Núcleo do Serviço Educativo