Boletim eletrônico Nº 675 - Ano XIII - 22 de dezembro de 2017 a 11 de janeiro de 2018.

institutobrasileirodemuseus

www.museus.gov.br

---

2017 tem balanço positivo para o campo museal

Chamadas públicas para diretores dos museus Ibram, institucionalização de políticas, sustentabilidade, Fórum Nacional de Museus são alguns, dos muitos acontecimentos que marcaram o ano de 2017 no campo museal. Neste último boletim e-Museus do ano, fazemos um balanço do que foi 2017, destacando algumas ações que tiveram e têm impactos no Ibram, nos museus e no setor como um todo.

Marcelo Araujo, presidente do Ibram, destaca que 2017 “foi um período no qual, ao lado de todos os museus brasileiros, resistimos a manifestações questionando a liberdade de expressão artística, e reafirmamos o museu como um espaço plural e crítico, comprometido com a construção de diálogos e com o respeito à diversidade.”

Araujo lembra também que em 2018, celebramos os 200 anos no Museu Nacional da UFRJ, o primeiro museu do Brasil. “Efetivamente, um momento muito importante na medida em que vai permitir fazermos uma reflexão e um balanço das contribuições que a instituição museu trouxe para a cultura brasileira ao longo desses dois séculos. Esperamos que essa comemoração possa marcar as ações de todos os museus do ao longo do ano, reforçando o papel e a importância dos museus à cultura brasileira”.

E, para 2018, reiteramos nosso compromisso de fazer do Ibram uma instituição que cada vez mais seja reconhecida como referência no desenvolvimento e implantação de políticas públicas para a área museal.

---

Chamadas públicas para diretores de museus Ibram marcam 2017

Republica

Foi publicado hoje (21), no Diário Oficial da União, o resultado final da seleção de candidato para ocupar o cargo de diretor do Museu da República, no Rio de Janeiro (RJ) e do Palácio Rio Negro, em Petrópolis (RJ).

Este foi o quinto processo seletivo para cargos de diretores de museus Ibram finalizado em 2017.

Ao longo do ano, tomaram posse no cargo o diretor do Museu Solar Monjardim, situado em Vitória (ES), na primeira semana de dezembro; em novembro, a nova diretora do Museu Villa-Lobos, situado no Rio de Janeiro; a nova diretora do Museu da Inconfidência, em Ouro Preto (MG), e a do Museu do Diamante, em Diamantina (MG), tomaram posse no mês de setembro; e, em janeiro, o diretor do Museu das Missões, em São Miguel das Missões (RS), nomeado ao final do processo seletivo iniciado ainda em 2015.

Na quarta-feira (20), foram homologadas as inscrições de candidatos para o cargo de diretor do Museu Lasar Segall, em São Paulo (SP). A seleção de diretores dos museus Ibram se dá através de Chamadas Públicas e observa critérios técnicos e objetivos de qualificação profissional dos candidatos.

---

Políticas públicas em museologia social e educação museal foram institucionalizadas

19400013_1953039621388539_7556337586387660928_n

O ano de 2017 marcou a oficialização de políticas públicas desenvolvidas pelo Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) em dois importantes campos de atuação: a educação museal e a museologia social. Foram instituídos no âmbito do órgão o Programa Pontos de Memória e a Política Nacional de Educação Museal (PNEM).

O Programa Pontos de Memória foi instituído pela Portaria Nº 315, de 6 de setembro de 2017 – que detalha seus princípios, objetivos e estabelece a formação de um Comitê Consultivo, responsável por promover debates e propor ações, estratégias e diretrizes com vistas ao fortalecimento de políticas públicas no campo da museologia social. O comitê teve sua primeira reunião no final de novembro.

Tornado política perene após reivindicação do setor e pactuação no 7º Fórum Nacional de Museus, o programa apoia, fomenta e capacita iniciativas de memória social e comunitária desenvolvidas Brasil afora. Já são mais de 300 experiências identificadas nas várias regiões brasileiras, em centros urbanos e no campo, territórios indígenas, quilombos, periferias e outros territórios.

PNEM - Já a criação da Política Nacional de Educação Museal (PNEM) foi tornada oficial com a publicação da Portaria Nº 422, de 30 de novembro de 2017. Destinado ao campo museal brasileiro como um todo, o texto legal estabelece um conjunto de princípios e diretrizes que tem o objetivo de nortear a realização das práticas educacionais em instituições museológicas, fortalecer a dimensão educativa em todos os setores do museu e subsidiar a atuação dos educadores.

A portaria é fundamentada em princípios e diretrizes orientadores que foram definidos de forma colaborativa após amplo processo de participação que incluiu consulta pública através de plataforma online, a realização de 23 encontros presenciais regionais e a aprovação da Carta de Petrópolis (2012) e Carta de Belém (2014) nas respectivas edições do Fórum Nacional de Museus. O documento final foi aprovado na sétima edição do fórum, realizada este ano em Porto Alegre (RS).

---

Financiamento e sustentabilidade foram temas relevantes em 2017

Sustentabilidade_MesaTecnica_Ibermuseus

Em um cenário de recursos limitados para o setor cultural, o Ibram vem aprimorando ações com foco nos aspectos da sustentabilidade e financiamento para a área de museus.

Em 2017 houve um trabalho ativo do instituto nas discussões para a elaboração de nova Instrução Normativa da Lei Rouanet, lançada em março, que passou a incluir o segmento Museus e Memória. Neste ano, o valor de captação autorizado pelo mecanismo de incentivo fiscal para projetos no setor superou R$ 135 milhões.

Um diagnóstico sobre gestão e financiamento dos museus brasileiros também está em andamento. O objetivo é identificar as possibilidades jurídicas de institucionalidade e de gestão administrativa e financeira utilizadas por instituições museais, trazendo dados para análise das diferentes formas de modelos de gestão - incluindo limitações, potencialidades, vantagens e desvantagens.

Em outra frente, o Ibram encabeça linha de ação voltada para a Sustentabilidade de Instituições e Processos Museais no âmbito do Programa Ibermuseus.

Neste ano, em encontro em Brasília (DF -foto), houve a discussão e aprovação de um Plano Estratégico, além da definição de atividades de curto e longo prazo. Também está em andamento o mapeamento e diagnóstico de 50 iniciativas em sustentabilidade no setor museal nos 12 países que compõem o Conselho Intergovernamental do Programa Ibermuseus.

Já na perspectiva regional, o Ibram garantiu, pela primeira vez, a participação da área de museus e patrimônios no Mercado de Indústrias Culturais do Sul (MicSul), que acontece no próximo ano no Brasil. Organizado pelo Ministério da Cultura (MinC), o evento reunirá pequenos, médios e grandes empresários de diversas cadeias da economia da cultura da América do Sul e de outras partes do mundo.

 

 

---

Temporadas de eventos e parcerias focam na visibilidade dos museus

7FNM_MesaAbertura_30mai

A realização de de eventos que ampliem a visibilidade dos museus e a realização de parcerias com foco na difusão de conhecimento estiveram em pauta em 2017.

A 15ª Semana de Museus e a 11ª Primavera dos Museus, eventos que fazem parte do calendário anual do instituto, uma vez mais movimentaram o campo museal neste ano.

A Semana de Museus contou com mais de 1 mil participantes de todo o país, enquanto a Primavera dos Museus conseguiu aumentar em 24% o número de museus nesta edição, com mais de 900 participantes. Para 2018, as inscrições para a 16ª Semana de Museus já se encontram abertas.

Outro evento de grande relevância para o setor foi a realização do 7º Fórum Nacional de Museus (FNM - foto), que reuniu em Porto Alegre (RS) mais de 900 participantes sob o tema “Recomendações Unesco: caminho para museus e coleções’’.

Para o próximo ano,  uma nova versão do blogue do FNM  estará disponível. Além de disponibilizar conteúdos relacionados a todas as sete edições, ele também passa a ser espaço de diálogo permanente com o campo museal para assuntos relacionados à Política Nacional de Museus e seus desdobramentos.

Com a celebração dos 200 anos dos museus no Brasil em 2018 e os 10 anos do Ibram em 2019, o instituto trabalha em um projeto guarda-chuva que contemple um conjunto de ações e atividades em torno das datas.

Parcerias para a difusão
Em 2017, o Ibram deu um passo relevante para a ampliação da presença dos seus museus na internet. A disponibilização de acervos de cinco museus da rede Ibram na plataforma Google Art&Culture amplia a disseminação do conhecimento sobre museus, além de gerar impacto para pesquisadores e interessados em arte e cultura.

Ainda falando em parcerias, em 2018 começa a ser produzida uma nova temporada do programa Conhecendo Museus – realizado com a Empresa Brasil de Comunicação. Serão 30 episódios abordando temas como gastronomia, ciência e tecnologia, moda e comunicação a partir da história e acervos de museus brasileiros. Conheça as temporadas anteriores.

---

Cursos e publicações contemplaram demanda do setor museal por capacitação

17492448_1570785362949201_4818250125914267704_o

Uma das principais competências do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), a qualificação dos profissionais que atuam no setor museal foi contemplada em 2017 com o lançamento de publicações e a realização de cursos sobre diversos temas relacionados à área.

A cargo do programa Saber Museu, foram realizados ao longo do ano seis cursos presenciais em três unidades da federação – Rio Grande do Sul, Espírito Santo e Distrito Federal – sobre montagem de exposições, elaboração de planos museológicos, fomento para a área museológica e conservação preventiva de acervos culturais.

Os cursos contemplaram um público direto de cerca de 300 pessoas e todo o material relacionado está disponível também na plataforma virtual Saber Museu. A ideia é que, em breve, sejam promovidos outros cursos através do ambiente virtual de aprendizagem, sobre os temas mencionados e outros.

Publicações - Como desdobramento do trabalho do Saber Museu, foi lançado este ano o primeiro volume da série “Caminhos da Memória” – que passa a agregar a expressiva produção de conhecimento gerada para a realização dos cursos, oficinas, seminários e outras atividades de capacitação, presenciais e a distância.

Com pesquisa e elaboração de Maristela Simão, Lúcia Valente e Katia Bordinhão, “Caminhos da memória: para fazer uma exposição” traz orientações básicas, além de recursos teóricos e metodológicos, para a montagem de uma exposição, abrangendo as fases de planejamento, execução e avaliação. A versão digital do livro está disponível para download gratuito.

Também foi lançada em 2017, em parceria com o Programa Ibermuseus, a versão atualizada da publicação”Gestão de Riscos ao Patrimônio Musealizado Brasileiro”, com texto integral do programa e cartilha, agora também traduzidos para o espanhol.
Foram ainda disponibilizadas em 2017 as versões digitais e gratuitas dos livros "Pontos de Memória: Metodologia e Práticas em Museologia Social" (disponível em português, espanhol e inglês) e “Subsídios para a elaboração de planos museológicos”.

---

Obras e projetos arquitetônicos focaram requalificação dos museus da rede Ibram

mcbc2

O restauro e requalificação de museus vinculados à rede Ibram teve ampla agenda em 2017, com obras já finalizadas, em andamento ou com projetos elaborados e execução prevista para o ano que vem.

O Museu Casa de Benjamin Constant, no Rio de Janeiro, e o Museu Regional de Caeté, em Minas Gerais, deram início a processos de restauração integral.  Entre as obras de grande porte, também pode ser citado o restauro e ampliação do Museu Victor Meirelles, em Florianópolis (SC).

Outros museus que passaram por obras foram o Museu Nacional de Belas Artes, que recebeu impermeabilização em sua cobertura e torre de arrefecimento; o Museu da República, que teve varanda recuperada, restauração de claraboia e elevador finalizada, assim como reforma de banheiros; o Palácio Rio Negro, em Petrópolis (RJ), que passou por escoramento emergencial de sua varanda; e o Museu Imperial, na mesma cidade, que passou por obras emergenciais no telhado de sua biblioteca.

Projetos desenvolvidos – Foram ainda desenvolvidos projetos para a realização, em breve, de novas intervenções físicas nos museus citados e também no Museu do Açude, Museu Villa-Lobos, Museu Histórico Nacional, Museu Arqueológico de Itaipu, Museu de Arte Religiosa e Tradicional, Museu Casa da Hera, Museu de Arte Sacra de Paraty, Museu Lasar Segall, Museu Casa da Princesa, Museu de Arte Sacra da Boa Morte, Museu do Diamante, Museu do Ouro, Museu Regional de São João del-Rei, Museu Casa dos Ottoni, Museu da Abolição e Museu Casa Histórica de Alcântara.

Além das obras em execução e com projetos em andamento, o Ibram deu início em 2017 à elaboração de um instrumento de apoio à gestão que tem como objetivo adequar as intervenções em seus edifícios, estabelecendo rotinas de verificação que indicarão a necessidade de reparos, manutenção e intervenções, evitando a necessidade de investimentos em obras de maior porte.

---

Publicação reúne as memórias dos 10 anos do Programa Ibermuseus

O Programa Ibermuseus completou dez anos em julho deste ano e para marcar o trabalho dessa década, lançou a publicação Memória de 10 anos em edição trilíngue: português, espanhol e inglês. A publicação está disponível aqui.

O documento de mais de 50 páginas mostra o histórico de ações que Ibermuseus desenvolveu, além de apresentar reflexões de importantes atores da cooperação ibero-americana sobre as realizações e desafios do Programa.

Em 10 anos, o Programa Ibermuseus promoveu nove Encontros Ibero-americanos de Museus (EIM), 15 encontros técnicos e 12 reuniões intergovernamentais, que se converteram nos principais espaços de discussão e proposição de políticas para o desenvolvimento do setor museal na Ibero-América.

As convocatórias do Ibermuseus capacitaram diretamente a 188 profissionais, fomentaram 53 projetos educativos, apoiaram a recuperação do patrimônio afetado de sete instituições e promoveram noves projetos de circulação de bens entre 22 países.

Com o apoio do Ibermuseus, foram publicadas 14 pesquisas ou ensaios, incluindo importantes documentos como o Panorama de Museus Ibero-americanos, o Estudos de Públicos de Museus na Ibero-América e a reedição bilíngue do Programa para a Gestão de Riscos ao Patrimônio Musealizado Brasileiro.

O Programa também promoveu o desenvolvimento de duas ferramentas fundamentais para o conhecimento da situação dos museus – e seu público – na região: o Registro de Museus Ibero-americanos e o Sistema de Coleta de Dados de Público de Museus.

A Memória de 10 anos do Ibermuseus traz em detalhes essas e outras realizações da década de atuação do Programa. O documento finaliza com o artigo coletivo “Que museus queremos para o futuro?”, no qual 18 gestores públicos e profissionais ibero-americanos contribuem para indicar o caminho para outros 10 anos de cooperação e desenvolvimento de políticas públicas para os museus da Ibero-América.