Boletim eletrônico Nº 693 - Ano XV - 1º de junho a 8 de junho de 2018.

---

Acordo Brasil-Bolívia: primeira ação com parceria do Ibram é realizada em La Paz

rsz_dsc_1819

Foi realizada no último sábado (25), em La Paz, a conferência “Políticas Públicas para o Setor Museológico: a experiência brasileira”. Esta foi a primeira ação resultante do Acordo de Cooperação Brasil-Bolívia assinado no ano passado entre o Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), a Agência Brasileira de Cooperação (ABC) e o Ministério de Culturas e Turismo da Bolívia.

A conferência aconteceu no Museu Nacional de Arqueologia da Bolívia (MUNARQ) e foi ministrada pela diretora do Departamento de Processos Museais (DPMUS) do Ibram, Renata Bittencourt, e pela diretora do Departamento de Difusão, Fomento e Economia dos Museus (DDFEM), Eneida Braga.

O evento contou com a participação de mais de 40 profissionais de museus bolivianos e também teve a presença de representantes da Embaixada do Brasil na Bolívia e do ministro boliviano de Culturas e Turismo. Hoje situado no Palácio Tiahuanaco, o MUNARQ, que recebeu a conferência, é um dos mais antigos e tradicionais espaços culturais bolivianos, tendo sido inaugurado em 1842.

O Acordo de Cooperação Brasil-Bolívia tem como objetivo colaborar para o desenvolvimento de uma política museal inclusiva e participativa na Bolívia. Para isso, prevê a realização de eventos de capacitação que serão realizados por profissionais vinculados ao Instituto Brasileiro de Museus no MUNARQ a partir de junho.

A primeira oficina programada será realizada de 25 a 29 de junho e terá como tema “Plano Museológico”. A capacitação será ministrada pelos museólogos Alejandra Saladino e Newton Fabiano Soares, ambos do Ibram, e terá ainda acompanhamento posterior a distância através da plataforma virtual de aprendizagem Saber Museu. Outras duas oficinas, em setembro e novembro, abordarão os temas “Segurança Preventiva” e “Programa educativo”.

---

Ibram normatiza elaboração de planos museológicos em sua rede

13217383_485069161690580_8631312310216681722_o

O Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) publicou na última terça-feira (29) a Instrução Normativa Nº 3, de 25 de maio de 2018, que estabelece os procedimentos técnicos e administrativos para a elaboração de Planos Museológicos pelos 30 museus administrados diretamente pelo órgão.

A instrução normativa define parâmetros para que os museus da rede Ibram, que reúne algumas das instituições museológicas mais importantes do Brasil, possam elaborar esta que é considerada a mais básica ferramenta de planejamento estratégico para um museu.

O texto estabelece a estrutura que os planos museológicos dos museus da rede Ibram deverão conter, definindo também que eles devem ser elaborados de forma participativa, avaliados em caráter permanente e revisados com periodicidade mínima de 5 anos, além de publicizados.

---

Sete peças retornam ao Museu das Bandeiras após restauro

DSC_4181-218x300

Um conjunto de sete bens culturais que integram o acervo do Museu das Bandeiras, em Goiás (GO), estará de volta à instituição nos próximos dias após processo de restauro. As peças, todas de mobiliário em madeira dos séculos XVIII e XIX, foram restauradas em Belo Horizonte (MG) graças a Acordo de Cooperação Técnica celebrado com a Associação Casa de Cora Coralina.

Os itens foram enviados à capital mineira em novembro do ano passado, onde foram restaurados por profissionais do Grupo Oficina de Restauro. O conjunto inclui um trono episcopal; uma cadeira de sola; duas mesas de centro; uma mesa bufete; uma cômoda-papeleira; e uma cadeira torneada.

O tratamento dos bens culturais incluiu higienização, descupinização, desinfestação, imunização preventiva, remoção de intervenções anteriores consideradas inadequadas, reintegração de cores, aplicação de verniz, contenção de fissuras e rachaduras, refixação de partes e confecção de peças complementares, entre outras intervenções.

O conjunto de peças é caracterizado por estilos diversos: parte é de estilo barroco brasileiro de Dom João V (1700-1750), muito recorrente na região do Ciclo do Ouro; parte é de estilo neoclássico do período do reinado de D. Maria I (1777-1816); e há também um peça de estilo flamengo do século XVII.

O destaque fica por conta de cadeira cuja posse é atribuída a Damiana da Cunha, figura histórica importante no período da colonização da região Centro-Oeste do país. Índia caiapó adotada por família branca, participou ativamente das negociações de seu povo de origem com os colonizadores brancos, posteriormente unindo-os contra a colonização portuguesa.

---

MNBA inaugura exposição sobre representação do negro na arte

Modesto Brocos, Santiago de Compostela, 1895

No final do mês que marcou a passagem dos 130 anos de assinatura da Lei Áurea, que extinguiu a escravidão no Brasil, o Museu Nacional de Belas Artes (MNBA), no Rio de Janeiro (RJ), inaugurou na última quarta-feira (30) exposição que lança um olhar sobre as múltiplas representações do negro, bem como de seus protagonismos, encontradas em diversas obras pertencentes ao acervo da instituição.

“Das Galés as Galerias: representações e protagonismos do negro no acervo no acervo do MNBA” apresenta ao público cerca de 80 obras inseridas no contexto de épocas específicas, dispostas num fio condutor que perpassa o período colonial, o Brasil do Estado Novo e o Brasil atual. No percurso, as múltiplas interpretações do negro e do legado afro-brasileiro vão tomando forma.

Da escravização à ideologia do “branqueamento” – tese racista, defendida pelas elites, segundo a qual, através da imigração europeia e da mestiçagem, o Brasil em 100 anos se tornaria uma nação majoritariamente branca e apta a integrar o grupo das nações civilizadas – passando pelo mito da democracia racial, a exposição revela como os discursos sobre raça tomaram formas diferentes ao longo da história brasileira.

Em paralelo à exposição, que pode ser visitada até 19 de setembro, o MNBA promove até o próximo dia 13 uma série de oficinas criativas em torno do assunto, abertas ao público. A próxima delas acontece na próxima quinta-feira (7), das 14h às 15h30, com o tema “Artes e Oralidade: a Memória como matéria-prima do sujeito preto” (distribuição de senhas com 1h de antecedência). Saiba mais.

Wilson Piran – O MNBA inaugurou, também nesta quarta-feira (30), a exposição “Nem tudo que brilha é ouro”, que apresenta 26 objetos e esculturas de diferentes materiais de autoria do artista plástico Wilson Piran – todos recobertos de falso ouro.

Nascido em Nova Friburgo (RJ) e ex-aluno da antiga Escola Nacional de Belas Artes, Piran apresentou sua primeira individual no Museu Nacional de Belas Artes em 1977. Mais de quatro décadas depois, o artista plástico exibe na instituição sua produção caracterizada pela busca de poesia nas dúvidas e incertezas do artista e da própria arte. A exposição pode ser visitada até 9 de setembro de terça a sexta, das 10h às 18h; e aos sábados, domingos e feriados das 13h às 18h.

 

---

MinC e Itaú Cultural promovem seminário sobre combate ao tráfico de bens culturais

interna_protecao

O Ministério da Cultura (MinC) e o Instituto Itaú Cultural promovem nos dias 4 e 5 de junho, em São Paulo (SP), o seminário “Proteção e circulação de bens culturais: combate ao tráfico ilícito”. O evento reunirá especialistas e representantes de órgãos federais do Brasil e de países sul-americanos com o objetivo de compartilhar experiências e discutir formas de regulação, afim de subsidiar a elaboração de uma política de prevenção e repressão a esse tipo de crime no Brasil.

O seminário conta com a cooperação da Representação no Brasil da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) e do Comitê Brasileiro do Conselho Internacional de Museus (ICOM), além do apoio do Ministério das Relações Exteriores, do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) e da Fundação Biblioteca Nacional (FBN).

Estarão presentes no seminário, além de representantes do mercado das artes, autoridades, especialistas e técnicos. Participarão também representantes da Polícia Federal, da Receita Federal, do Ministério Público, do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf), da Agência Nacional de Mineração, e do Instituto Itaú Cultural, além de órgãos vinculados ao MinC, como o Iphan, o Ibram e a Biblioteca Nacional. Saiba mais.

---

Revista Acervo abre chamada para artigos

download

A revista Acervo, editada pelo Arquivo Nacional, está com chamada de artigos aberta para sua próxima edição comemorativa aos 180 anos da instituição, que é vinculada ao Ministério da Justiça.

O tema deste número será "Estado da arte da pesquisa em Arquivologia" e vai contemplar o cenário atual e as perspectivas da área. A edição terá organização de Adriana Cox Hollós, doutora em Ciência da Informação, e Eliezer Pires da Silva, doutor em Memória Social.

Serão contempladas abordagens relativas ao atual cenário arquivístico, seus limites e possibilidades, caracterizando o estado da arte da pesquisa em Arquivologia no Brasil. A ideia é apresentar a realidade dos arquivos no presente e suas perspectivas de desenvolvimento no futuro, contemplando ainda os debates no âmbito dos documentos digitais.

A proposta inclui artigos de natureza teórica e epistemológica; discussões e reflexões político-filosóficas sobre os conhecimentos que temos hoje e as tendências que vêm determinando novas formas de produção, gestão e uso dos arquivos em geral; e estudos sobre a preservação de acervos digitais e não-digitais.

A revista Acervo aceita trabalhos (um dos autores do texto submetido necessariamente tem que ter o título de doutor) para as seções Dossiê Temático, Artigos Livres, Resenhas e Documentos. As submissões devem ser encaminhadas até o próximo dia 30 de junho. Os textos devem estar de acordo com as normas editoriais e atender ao escopo apresentado no site da revista. Saiba mais.

Agenda

Emanoel Araujo, a ancestralidade dos símbolos: África-Brasil

O quê: A exposição, que integra o ciclo de 2018 das histórias afro-atlânticas, apresenta quarenta esculturas e xilogravuras do artista plástico baiano que revelam os interesses do artista, pautados por tradições modernistas brasileiras e europeias, como a abstração geométrica, e pela cultura popular baiana. A produção de Araujo reflete sua raiz africana, com sua ascendência nagô e iorubá, da África Ocidental.
Quando: De 6/4 a 3/6. Terça a domingo, das 10h às 18h (às quintas, das 10h às 20h).
Onde: Museu de Arte de São Paulo (Av. Paulista, 1578 | São Paulo – SP)
Informações: masp.org.br | (11) 3149 5959

---

O Museu dá Samba – A Imperatriz é o Relicário no Bicentenário do Museu Nacional

O quê: No carnaval de 2018, a escola de samba Imperatriz Leopoldinense levou o Museu Nacional para o desfile das grandes escolas de samba do Rio de Janeiro com um enredo sobre os 200 anos da instituição. Agora, a instituição retribui a homenagem apresentando 30 das fantasias que compuseram o desfile em suas principais salas.
Quando: A partir de 18/5.
Onde: Museu Nacional – UFRJ (Quinta da Boa Vista – São Cristóvão | Rio de Janeiro – RJ)
Informações: (21) 3928 1123 | www.museunacional.ufrj.br

---

Deslocamento de Coleções: A Conservação Transigente

O quê: Mesa-redonda sobre o tema com participação presencial e online, como parte do ciclo Mesas-Redondas em Conservação e Restauração.
Quando: Dia 15/6, às 10h. Evento público e gratuito com inscrição prévia (60 vagas). Não há necessidade de inscrição para assistir à transmissão on-line.
Onde: Sala Alfredo Bosi (Rua da Praça do Relógio, 109 - Cidade Universitária | São Paulo - SP)
Informações: www.iea.usp.br/eventos/conservacao-e-a-restauracao-3 | www.iea.usp.br/aovivo

---

Conflitos: Fotografia e violência política no Brasil 1889-1964

O quê: A exposição contradiz a imagem do Brasil como país pacífico e oferece um olhar sobre a história nacional que colabora na compreensão da atual crise política. Com um panorama de imagens de guerras civis, revoltas e outros episódios de confronto envolvendo o Estado brasileiro, Conflitos aborda o papel das imagens fotográficas nesses eventos, seu uso político e suas formas de circulação. Curadoria de Heloisa Espada.
Quando: De 8/5 a 29/7. Terça a domingo e feriados (exceto segunda), das 10h às 20h. Quinta, exceto feriados, das 10h às 22h.
Onde: IMS Paulista (Av. Paulista, 2424 | São Paulo - SP)
Informações: (11) 2842 9120 | imspaulista@ims.com.br

---

II Semana Nacional de Arquivos

O quê: Segunda edição da temporada de eventos em arquivos e outras instituições de memórias de todo o país. O objetivo da ação, que este ano traz como tema "Governança, memória e herança", é aproximar essas instituições da sociedade e divulgar os valiosos trabalhos nelas desenvolvidos.
Quando: De 4 a 9/6.
Onde: Diversos eventos em todo o país (confira programação no site abaixo)
Informações: semanadearquivos.an.gov.br

Cursos e oficinas

I Encontro de Pesquisa em Museus e Museologia da USP

---

O quê: Organizado pelo Programa de Pós-graduação Interunidades em Museologia da USP (PPGMus-USP), o evento recebe trabalhos para apresentação.
Quando: De 3 a 6/12. Inscrições até 15/7.
Onde: Museu Paulista e Museu de Zoologia (São Paulo - SP)
Informações: fb.me/epmm.usp

---

3º Colóquio de Museologia - Museus, mulheres e gênero

O quê: Com participação da Profª Dra. Ana Audebert (UFOP), o evento vai abordar o feminismo, os estudos de gênero e sua contribuição para repensar os conceitos de musealização, fato museal e musealidade, expondo emabtes e possibilidades expográficas.
Quando: Dias 5 e 7/6.
Onde: Auditório da Faculdade de Ciência da Informação (Campus Darcy Ribeiro - Asa Norte | Brasília - DF)
Informações: www.museologia.fci.unb.br