Boletim eletrônico Nº 700 - Ano XV - 20 a 27 de julho de 2018

---

Ibram e CCBB Rio promovem seminário sobre 200 anos de museus no Brasil

FolderCCBB-001

O Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) e o Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB) do Rio de Janeiro promovem de 30 de julho a 3 de agosto o seminário “200 anos de Museu no Brasil: Desafios e Perspectivas”.

Realizado com o patrocínio do CCBB Rio, o evento vai propor uma reflexão sobre dois séculos de presença contínua dos museus em território brasileiro, celebrados em 2018 por ocasião do bicentenário de criação do Museu Nacional.

O seminário vai debater o percurso histórico de constituição e consolidação dos museus no Brasil em toda sua diversidade e abrangência, analisando as contribuições trazidas para a cultura brasileira e os desafios e perspectivas neste campo. Com este objetivo, importantes nomes do segmento no Brasil foram convidados a participar de extensa programação que ocupará o Teatro 1 do CCBB Rio de Janeiro ao longo de cinco dias e inclui nove mesas redondas, além de palestra.

Entre os temas que serão abordados estão a memória do pensamento museológico brasileiro; a educação museal no Brasil; reflexões sobre museus de Arte, História, Antropologia, Arqueologia e Ciência; a presença das memórias afro-brasileiras nos museus brasileiros; e os desafios e perspectivas para os museus no Brasil contemporâneo. O evento terá entrada gratuita, com distribuição de senhas 1h antes de cada atividade programada. Confira a programação completa.

“Nesse ano em que celebramos os 200 anos de museus no Brasil, é fundamental para nossas instituições museológicas desenvolver uma reflexão sobre suas histórias e memórias”, explica o presidente do Ibram, Marcelo Araujo. “Não só para identificarmos suas contribuições para a cultura do país, mas principalmente para melhor compreender as potencialidades e os desafios que se colocam, no momento presente, para o exercício de seu papel de agentes no processo de construção de uma sociedade solidária”, completa.

Saiba mais sobre o seminário “200 anos de Museu no Brasil: Desafios e Perspectivas”.

---

Ibram e SP assinam acordo para operação do Registro de Museus

assinatura registro sp

O Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) firmou na última quarta-feira (18) termo de convênio com a Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo (SEC-SP) para a operação do Registro de Museus naquele estado.

O acordo visa a melhoria da qualidade da gestão da Política Nacional de Museus a partir da habilitação da SEC-SP como entidade registradora para a realização do Registro de Museus, o que facilitará a troca de informações sobre os museus localizados naquele estado e promoverá a integração das informações da Plataforma Museusbr (Ibram/MinC) e Mapa da Cultura (SNIIC/MinC) com o Cadastro Estadual de Museus (CEM-SP).

A assinatura do acordo aconteceu entre o presidente do Ibram, Marcelo Araujo, e o Secretário de Estado da Cultura, Romildo Campello, na abertura do 10º Encontro Paulista de Museus. Durante o evento, houve ainda reunião da Rede de Sistemas de Museus (Rede SIMUS) em que as técnicas Rafaela Lima e Alessandra do Carmo Garcia, da Coordenação Geral de Sistemas de Informação Museal do Ibram, apresentaram o fluxo integrado do processo de Registro com o estado.

Esse é o segundo acordo firmado pelo Ibram para a operação descentralizada do Registro de Museus. O primeiro foi assinado em maio com o Espírito Santo.

O Registro de Museus

O Registro de Museus é um instrumento da Política Nacional de Museus previsto pelo Estatuto de Museus (Lei 11.904/2009) e regulamentado pelo Decreto nº 8.124/2013 e Resolução Normativa nº 1/2016 que visa criar mecanismos de coleta, análise e compartilhamento de informações sobre os museus brasileiros com o propósito de aprimorar a qualidade de suas gestões e fortalecer as políticas públicas setoriais. Também intenciona estimular a formalização dos museus a partir do acompanhamento das dinâmicas de criação, fusão, incorporação, cisão ou extinção de museus.

Foto: Divulgação SISEM-SP

---

Museu da Abolição recebe doação de artefatos britânicos do período escravista

image1

O Museu da Abolição (MAB), em Recife (PE), recebeu nos últimos dias a doação de peças históricas importantes para a compreensão do período de escravidão de indivíduos trazidos da África.

Foram doados ao acervo da instituição, que é vinculada ao Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), três pares de manilas inglesas. As manilas eram braceletes de metal trocados por indivíduos escravizados na África para posterior tráfico e comércio nas Américas, sendo por isto consideradas “moedas da escravidão”.

As peças doadas ao MAB foram encontradas na área de naufrágio ocorrido em 1843 nas rochas de Crebawethan, na costa da Inglaterra. Os resquícios do naufrágio foram encontrados em 1973 pelos mergulhadores Terry Hiron e Jim Heslin. O navio Duoro saiu de Liverpool e destinava-se ao sul da Inglaterra, sendo sua carga descrita como de "mercadorias resgatadas, armaduras e batentes de latão”.

Pequenas argolas de bronze com extremidades achatadas abertas, as manilas foram altamente apreciadas pelos traficantes da costa oeste africana. As peças são testemunho do tráfico ilegal que continuou a ocorrer mesmo depois de decretado o fim da escravidão pelo Império Britânico, em 1807.

Com certificado de autenticidade, os artefatos foram doados por uma brasileira residente na Inglaterra há mais de 20 anos. A equipe de Museologia do MAB estuda os artefatos e sua origem para apresentá-los ao público em futura exposição programada para ser aberta ainda este ano.

---

Pesquisadores alemães estudam acervo do Museu das Missões

museu_missoesA_54

O Museu das Missões recebe no momento, até a próxima segunda-feira (23), a visita de pesquisadores do Departamento de Conservação e Restauro, História da Arte, Técnica e Ciência da Conservação da Universidade Técnica de Munique (Alemanha).

A equipe alemã investiga esculturas em madeira policromada das missões jesuíticas da antiga província jesuítica de Paracuaria com o intuito de determinar a presença de características técnicas específicas, focando na possível influência de jesuítas alemães.

Acompanhada pelo restaurador do Museus das Missões, Ariston Correia Filho, a equipe já realizou um registro fotográfico do acervo do museu, análise microscópica dos pigmentos utilizados nas esculturas e coleta de amostras de materiais para análise em laboratório, entre outras atividades de pesquisa.

As responsáveis pelo projeto no Brasil são as pesquisadoras Julia Brandt e Isabel Wagner, que também contam com a parceria do professor Thiago Sevilhano Puglieri e de Karen Caldas, da Universidade Federal de Pelotas.

As restauradoras também pesquisarão os acervos missioneiros do Museu Júlio de Castilhos, em Porto Alegre, e do Museu Apparicio Silva Rillo, em São Borja, ambos no Rio Grande do Sul. Paralelamente, uma pesquisa bibliográfica está sendo conduzida na Espanha, na Itália e na América do Sul e as coleções de quatro museus paraguaios já foram investigados. Saiba mais sobre o projeto.

---

Museu de Arte Religiosa e Tradicional inaugura exposição fotográfica sobre o mar

mart

O Museu de Arte Religiosa e Tradicional (MART), em Cabo Frio (RJ), inaugurou na última quinta-feira (19) a exposição “O Mar, Conexão Divina”, do fotógrafo Luciano Barbosa, com imagens que retratam as paisagens da cidade.

A mostra apresenta a cidade aos visitantes sob a perspectiva do cotidiano do morador, destacando os eventos tradicionais, a cultura, a pesca artesanal, a preservação do meio ambiente e seu patrimônio imaterial. Com entrada é gratuita, exposição ficará aberta até o dia 19 de setembro.

Museu de Arte Religiosa e Tradicional

Vinculado à rede Ibram, o MART é sediado no antigo Convento de Nossa Senhora dos Anjos e oferece uma exposição permanente de arte sacra dos séculos XVII e XVIII e peças de mobiliário. O prédio, datado de 1686, é tombado pelo Patrimônio Histórico e Artístico Nacional.

O Museu de Arte Religiosa e Tradicional fica no Largo de Santo Antônio, s/nº, em Cabo Frio (RJ) e está aberto ao público de terça-feira a sexta-feira, das 10h às 17h, e sábados e feriados, das 14h às 18h.

---

Fundação Casa de Rui Barbosa inscreve para mestrado profissional em Memória e Acervos

crb-mestrado-acervos-interna

A Fundação Casa de Rui Barbosa (FCRB) lançou edital que oferece até 16 vagas para a turma 2019 de seu Curso de Mestrado Profissional em Memória e Acervos.

O curso é gratuito, com duração de dois anos, e tem como principal objetivo a formação de gestores, profissionais e pesquisadores que atuam com acervos públicos e privados de natureza arquivística, museológica ou bibliográfica, sendo também aberto a estudantes recém-egressos da graduação e ao público em geral em busca de formação profissional na área. As aulas acontecem de segunda a sexta, das 18h às 22h.

O Programa de Pós-Graduação em Memória e Acervos possui duas linhas de pesquisa: “Patrimônio Documental: Representação, Gerenciamento e Preservação de Espaços de Memória”; e “Práticas Críticas em Acervos: Difusão, Acesso, Uso e Apropriação do Patrimônio Documental Material e Imaterial”.

As inscrições estão abertas até 13 de agosto no site da FCRB. É exigido comprovante de pagamento de taxa no valor de R$ 100. Para mais detalhes, leia o Edital de Seleção.

---

Projeto brasileiro premiado pelo Ibermuseus vira exposição em Buenos Aires

screen_3c1c2fe0174f3d735d47ae00584a9a06

Fruto de projeto brasileiro premiado pela quarta edição da convocatória Conversaciones, do Programa Ibermuseus, a mostra “Memoria de los Brasileños”, realizada pelo Museu da Pessoa, está sendo exibida desde o último dia 5 no Centro Cultural Borges, em Buenos Aires (Argentina).

A exposição, que fica em cartaz até 2 de setembro com entrada gratuita, resgata e valoriza a história de cada indivíduo como parte de uma construção coletiva da memória social, sendo organizada em cinco módulos construídos a partir de histórias de vida apresentadas em vídeos que contam parte da historia do Brasil por meio de narrativas pessoais.

“Contemporaneidade” relata o processo de urbanização que em menos de 100 anos levou 80% da população brasileira do campo às cidades; “Saberes e Fazeres” apresenta culturas indígenas, africanas, quilombolas e outras que formam a identidade brasileira; “Conflitos” traz histórias e personagens marcados pela violência, preconceitos, direitos negados e exploração sexual e laboral; “Transformação” dá ênfase em pessoas e comunidades que trabalham para melhorar a realidade que vivem; e “Narradores” conta com depoimentos e trajetórias de poetas, escritores e jornalistas brasileiros.

“Memoria de los Brasileños” busca contribuir com o aprofundamento do conhecimento mútuo ao apresentar uma perspectiva da história brasileira muitas vezes ofuscada pelas grandes narrativas, baseadas nos aspectos mais visíveis e nos ícones mais difundidos da cultura nacional. A exposição também pode ser visitada em sua versão virtual.

A mostra foi pensada originalmente para exibição no Musée de la Civilisation, de Quebec (Canadá), onde foi visitada por mais de 100 mil pessoas entre 2016 e 2017. O projeto expográfico é de Marcelo Larrea, um argentino radicado no Brasil há mais de 30 anos e colaborador do Museu da Pessoa em diferentes projetos.

A convocatória Conversaciones tem como objetivo fomentar a circulação de acervos e exposições entre países da comunidade ibero-americana e evidenciar as relações construídas entre museus e comunidades.

 

Agendas

J. Borges – 80 Anos

O quê: A exposição apresenta a trajetória de vida do xilogravurista e cordelista pernambucano J. Borges, cujas obras retratam o cotidiano do agreste e elementos culturais nordestinos. Apresenta também obras assinadas por J. Miguel e Manassés Borges, filhos e aprendizes do artista, além de exibir uma cinebiografia sobre sua vida e obra dirigida pelo jornalista Eduardo Homem.
Quando: De 7/6 a 22/7. Terça a domingo, das 9h às 21h. Entrada franca.
Onde: CAIXA Cultural Brasília (SBS Quadra 4 Lotes 3/4 | Brasília – DF)
Informações: (61) 3206-9448 | www.caixacultural.gov.br

---

Queermuseu: Cartografias da Diferença na Arte Brasileira

O quê: A exposição explora a expressão e identidade de gênero, a diversidade e a diferença na arte brasileira por meio de um conjunto de obras que percorrem um arco histórico de meados do século XX até a atualidade. A mostra reúne 264 obras de 85 artistas, dentre eles: Adriana Varejão, Alfredo Volpi, Bia Leite, Cândido Portnari, Cibelle Cavalli Bastos, Leonilson, Lygia Clark, Pedro Américo, Roberto Cidade e Sidney Amaral. Provenientes de coleções públicas e privadas, as obras são igualmente representativas da diversidade estética, geográfica e geracional da produção artística do Brasil.
Quando: De 18/8 a 16/9. Segunda a sexta, das 12h às 20h; sábados e domingos, das 10h às 17h.
Onde: Escola de Artes Visuais do Parque Lage (Rua Jardim Botânico, 414 - Jardim Botânico | Rio de Janeiro - RJ)
Informações: eavparquelage.rj.gov.br/queermuseu/

---

Durval Pereira

O quê: A exposição reúne cerca de 220 trabalhos do artista plástico Durval Pereira (1918-1984), marcando diversas fases e temáticas de suas pinturas. Os visitantes poderão ainda conhecer um pouco mais de sua trajetória em tours virtuais, concebidos em realidade 3D.
Quando: De 18/7 a 16/9. Terça a domingo, das 9h às 18h.
Onde: Memorial da América Latina (Av. Auro Soares de Moura Andrade, 664 | São Paulo - SP)
Informações: pt-br.facebook.com/memorialamericalatina

 

Cursos e oficinas

Oficina de desenho

O quê: Oficina gratuita voltada para crianças de 6 a 14 anos, cuja proposta é a introdução à linguagem do desenho intercalando formas de fazer e diferentes materiais, partindo de experimentos corporais até desenhos de observação.
Quando: Dias 24 e 25/07.
Onde: Museu Victor Meirelles (Rua Rafael Bandeira, 41 - Centro | Florianópolis – SC)
Informações: (48) 3222-0692 | mvm.educativo@museus.gov.br

---

IV Fórum Estadual de Museus do RJ

O quê: Promovido pelo Sistema Estadual de Museus do Rio de Janeiro em parceria com a Rede de Museologia Social do Rio de Janeiro, o evento traz como tema nesta edição"Memória, Patrimônio, Violências e Resistências" e vai abordar a preocupação de museus e comunidades com a salvaguarda dos patrimônios e identidades, dando visibilidade ao campo da museologia social, engajamentos, ações, projetos e experiências exitosas em museus.
Quando: Dias 25 e 26/7.
Onde: Theatro Municipal do Rio de Janeiro (Av. Almirante Barroso, 14-16 | Rio de Janeiro - RJ)
Informações: (21) 2216 8500 | superintendenciademuseus@gmail.com

---

Conservação de Fitas de Áudio

O quê: Ministrada por Eduardo S. Azevedo, responsável pela perícia e coordenação de digitalização do acervo audiofônico do Museu da Imagem e do Som de São Paulo (MIS-SP), a oficina ensinar como higienizar fitas de áudio analógicas – como as fitas K7 (especiais e de rolo); como fazer pequenos reparos; emendas no suporte; trocas de estojo; destravamento por problemas diversos; e administração de “desbobinamento”. O encontro também explicará como avaliar o estado de conservação das fitas; como efetuar a captura de áudio analógico; e como fazer a conversão para o formato digital (digitalização), por meio de softwares de captura de áudio e sistemas mais adequados e contemporâneos de armazenamento.
Quando: Dia 26/7, das 9h às 17h.
Onde: Secretaria Municipal da Cultura de Ribeirão Preto (Praça Alto do São Bento, s/n, ao lado do Teatro Municipal | Ribeirão Preto - SP)
Informações: https://bit.ly/2yJUwnH