Boletim eletrônico Nº 711 - Ano XV - 11 a 19 de outubro de 2018

---

Ibram e Wikipédia promovem maratona para promoção de museus brasileiros

Convite_MaratonaWikipedia_Embreve3

Aproximar ainda mais os museus brasileiros das plataformas digitais para promover, divulgar e valorizar o campo museológico é o objetivo da Maratona de Museus: Ibram e Wikipédia, que acontece no dia 6 de novembro em três capitais brasileiras: Brasília (DF), Recife (PE) e Rio de Janeiro (RJ).

A ação será promovida pelo Instituto Brasileiro de Museus em parceria com a Wiki Educação Brasil, grupo que conta com a participação de professores, colaboradores e pesquisadores de várias instituições brasileiras participantes do Programa de Educação da Wikimedia – fundação dedicada a incentivar a produção, desenvolvimento e distribuição de conteúdo livre e multilíngue, disponibilizados ao público de forma integral e gratuita.

A Wikipédia, um dos 10 sites mais visitados do mundo, é o projeto mais conhecido da Wikimedia, com mais de 43 milhões de artigos escritos de forma conjunta por diversos voluntários ao redor do mundo. O projeto possibilita múltiplas ações de promoção e divulgação de museus e seus acervos, a partir da criação ou qualificação de verbetes na web sobre elas, suas histórias, seus itens de coleções e outros temas relacionados.

A Maratona de Museus: Ibram e Wikipédia será um esforço colaborativo com este objetivo, o que permitirá ampliar o acesso e o conhecimento dos diversos públicos sobre os museus participantes e instigá-los a visitarem essas instituições culturais.

A ação acontecerá simultaneamente nas três cidades envolvidas, das 9h às 18h, e contará com a participação de técnicos dos 30 museus vinculados ao Ibram, servidores da sede do órgão em Brasília e técnicos de museus de Recife e Rio de Janeiro. Serão oferecidas mais de 60 vagas para interessados em participar.

Para saber mais detalhes sobre a Maratona de Museus: Ibram e Wikipédia envie e-mail para o endereço eletrônico cpgii@museus.gov.br ou entre em contato pelos telefones (61) 3521-4135/4142.

---

Exposição no MNBA exibe mestres exilados da gravura brasileira

mnba

O Museu Nacional de Belas Artes (MNBA), no Rio de Janeiro (RJ), inaugurou na última terça-feira (9) a exposição “Três gravuristas e o exílio no Brasil: Fayga Ostrower, Axl Leskoschek, Lasar Segall”. A mostra apresenta 32 obras originais de três mestres da gravura que chegaram ao Brasil no século XX, fugindo do nazismo na Europa, e se estabeleceram no país, influenciando várias gerações de artistas brasileiros.

O objetivo da exposição, que também exibe painéis, cartas, fotos e filmes, é lançar foco sobre como a vivência de partida, migração e exílio marcaram o estilo dos artistas e como eles trouxeram novas técnicas, olhares e formas de pensar a arte e o processo de criação.

O judeu ucraniano Lasar Segall (1891-1957) chegou ao Brasil já na década de 1920. Voltou para a Europa, mas regressou em definitivo para São Paulo com o recrudescimento das manifestações antissemitas de extrema direita. Em suas gravuras, o autor do famoso Navio de Emigrantes evoca temas judaicos e a sua aldeia nativa, além do cotidiano do país que o acolheu.

Polonesa de origem, Fayga Ostrower (1920-2001) viveu com a família na Alemanha até a fuga noturna atravessando florestas para a Bélgica e de lá para o Brasil, em 1934. Dedicou-se durante meio século à arte e passou do figurativo ao abstrato em suas gravuras. Além do seu legado artístico, foi uma pensadora que refletiu sobre arte e estética em vários livros.

O austríaco Axl Leskoschek (1889-1975), de orientação política de esquerda, precisou sair da Áustria quando se filiou ao partido comunista. No Brasil, foi professor na Fundação Getúlio Vargas e teve um ateliê famoso no bairro da Glória, no Rio de Janeiro. Formou uma geração de expoentes da gravura, como a própria Fayga Ostrower. O visitante da exposição poderá ver o seu delicado livro Miniaturas brasileiras, com cenas do cotidiano.

“Três gravuristas e o exílio no Brasil: Fayga Ostrower, Axl Leskoschek, Lasar Segall” pretende despertar a reflexão sobre uma temática cada dia mais atual – o sofrimento do exílio, o acolhimento, a riqueza que reside no olhar de uma outra cultura. A mostra inaugura uma parceria entre o MNBA e a Casa Stefan Zweig, instituição sediada em Petrópolis (RJ) dedicada ao tema do exílio, e pode ser visitada até 3 de fevereiro de 2019 de terça a sexta-feira, das 10h às 18h; e aos sábados, domingos e feriados, das 13h às 18h.

---

Museu Solar Monjardim tem visitação recorde em setembro

Solar Monjardim menor

O Museu Solar Monjardim (MSM/Ibram), em Vitória (ES), teve recorde de visitação no mês de setembro ao receber 1.688 visitantes, o que significa um aumento de 176% em relação ao mesmo mês do ano anterior.

Parte desse incremento tem relação direta com o sucesso das atividades programadas pelo MSM para a 12ª Primavera dos Museus, as uma parcela importante desse número vem do aumento da exposição que o museu vem experimentando na mídia local, através de um trabalho coordenado pela Direção e por sua Assessoria de Comunicação. Além disso, nos últimos meses o Solar Monjardim firmou um grande número de parcerias com escolas, projetos sociais e outras organizações da sociedade civil, em especial aquelas localizadas no entorno da instituição.

Dentre as atividades que têm tido grande retorno para o museu e ótima receptividade por parte do público, destacam-se as visitas especiais. A responsável pelo setor educativo do MSM, Andreia Albert, vem criando e conduzindo desde visitas temáticas musicadas, até algumas onde tanto os profissionais do museu quanto os visitantes se vestem caracterizados conforme a época áurea do Solar, o século XIX. Ajustando a linguagem, o conteúdo e a dinâmica dessas atividades ao perfil de cada grupo recebido no museu (que varia desde crianças em idade pré-escolar até pessoas na terceira idade), as visitas especiais vem sendo um estrondoso sucesso.

Segundo Evaldo Portela, diretor do Solar Monjardim, a chave do sucesso do museu está no trabalho em equipe e na criatividade. "Em um cenário de tantas limitações e restrições, além da situação extremamente delicada pela qual passam os museus brasileiros, não há outra forma de atingir nossos objetivos que não passe por um bom trabalho de equipe e por soluções criativas. Aqui no Solar, felizmente conto com uma equipe que além de competente é bastante dedicada. São profissionais que me ajudam muito a desenvolver situações que favoreçam a aproximação do museu com a comunidade e o seu fortalecimento institucional".

Apenas durante o mês de setembro, o Solar Monjardim atendeu 17 escolas e 4 instituições de outras naturezas. Para além destes grupos organizados, a visitação espontânea de moradores da região metropolitana de Vitória e de turistas também tem crescido de maneira constante, prova de que os esforços coordenados da equipe do Solar tem gerado ganhos em diversas frentes. É cada vez mais comum ver famílias aproveitando uma tarde de sábado na chácara onde se encontra o belo casarão colonial, ou profissionais de outras localidades, que vem à capital do estado por razões de trabalho durante a semana, e aproveitam um momento entre um compromisso e outro para fazer uma pequena viagem ao passado.

As visitas ao Museu Solar Monjardim podem ser feitas de terça a sexta, das 09h00 às 12h00 e das 13h30 às 16h30. Já aos sábados, domingos e feriados a visitação é das 13h00 às 17h00. O agendamento é necessário apenas para grupos com 10 ou mais pessoas e pode ser feito pelo telefone (27) 3223-6609. A entrada no museu é gratuita.

 

---

Museu da República tem programação em homenagem à Semana do Nordestino

Semana Ser Nordestino

Em comemoração ao dia 8 de outubro, Dia do Nordestino, o Museu da República recebe de 11 a 14 de outubro, parte da programação da Semana “Ser Nordestino” e o evento Carioquíssima edição “Ser Nordestino”.

Celebrar a cultura nordestina no Museu da República remonta à própria história do museu, que teve como fundador e primeiro diretor (1960 a 1967) o maranhense Josué Montello - escritor, historiador e ex-presidente da Academia Brasileiro de Letras -, e que abrigou quatro presidentes nordestinos enquanto sede da Presidência da República – Manoel Vitorino (baiano), Epitácio Pessoa (paraibano), José Linhares (cearense) e Café Filho (potiguar).

Nessas datas, às 15h, o Setor Educativo do Museu da República receberá a todas e todos - nordestinos, cariocas, e brasileiros de todo o país - gratuitamente, para uma visita mediada no Palácio do Catete com o tema “O Nordeste na República”. Na visita, o público poderá conhecer de modo mais aprofundado as presenças e ausências do estado do Nordeste e seus representantes na história da República e na do próprio Museu.

Entre 1919 a 1922, o Palácio do Catete abrigou o presidente Epitácio Pessoa, advogado, paraibano de Umbuzeiro. Epitácio não esteve no Brasil durante a campanha eleitoral, nem no dia da eleição, pois ainda se encontrava em Paris, França, chefiando a delegação brasileira na Conferência de Versalhes, que reuniu os países vencedores da I Guerra Mundial e seus aliados.

O próximo nordestino a estar na Presidência da República, ainda que somente por três meses e cinco dias, foi o magistrado José Linhares, nascido em Guaramiringa, Ceará. Ele substituiu Getúlio Vargas, deposto em outubro de 1945. Como Vargas governou sem vice-presidente desde 1930, o presidente do Supremo Tribunal Federal, José Linhares, era o primeiro da linha de sucessão.

O último nordestino a ocupar o Palácio do Catete também substituiu Getúlio Vargas. O advogado Café Filho, nascido em Natal, Rio Grande do Norte, era o vice-presidente da República quando Vargas se suicidou em 24 de agosto de 1954.

A história da República brasileira é também marcada pelo protagonismo de nordestinos. A República foi proclamada em 15 de novembro de 1889 e coube ao alagoano Deodoro da Fonseca, natural da cidade de Alagoas (hoje, Marechal Deodoro) a responsabilidade de liderar o golpe militar que destituiu a monarquia e implementou o novo regime. O marechal Deodoro foi escolhido o primeiro presidente do Brasil, sucedido por outro marechal alagoano, Floriano Peixoto, nascido em Maceió. Porém, enquanto presidentes, Deodoro e Floriano trabalharam no Palácio do Itamaraty, no centro da cidade do Rio de Janeiro.

O Palácio do Catete só se tornou sede da Presidência da República em 1897 e seu primeiro ocupante foi o vice-presidente Manoel Vitorino, médico, baiano de Salvador, já que o presidente Prudente de Moraes estava licenciado do cargo por motivos de saúde. Como as pedras nos rins viviam a incomodar Prudente de Moraes, Vitorino teve a oportunidade de ser presidente em mais de uma ocasião.

Outros presidentes brasileiros nascidos no Nordeste sucederam-se à mudança da capital brasileira do Rio de Janeiro para Brasília, sendo os mais recentes José Sarney, Fernando Collor e Luiz Inácio Lula da Silva. Mas não apenas emblemáticos nordestinos estão representados no acervo do Museu da República. A Coleção Canudos, que registra por meio das fotografias de Flávio de Barros, a Guerra homônima, é parte do acervo do Arquivo Histórico do Museu e declarado Memória do Mundo pela Unesco em 2009. Na coleção testemunham-se as contradições e conflitos presentes na passagem do Império para a República no Brasil.

Saiba mais sobre a programação da Semana “Ser Nordestino” no Museu da República.

 

Agendas

Coleções em diálogo: Museu Histórico Nacional e Pinacoteca de São Paulo

O quê: Com curadoria de Valéria Piccoli, curadora-chefe da Pinacoteca, e Paulo Knauss, diretor do Museu Histórico Nacional (Rio de Janeiro), a coletiva apresenta uma seleção de obras dos dois museus, incluindo telas em grande formato, inéditas ou pouco vistas pelo público geral, como parte do programa desenvolvido pela Pinacoteca que propõe criar novas interpretações sobre as coleções das instituições, ao contrapor obras de seus acervos.
Quando: De 6/10 de 2018 a 28/1 de 2019. Quarta a segunda, das 10h às 17h30 – com permanência até as 18h. Ingressos: R$ 6. Aos sábados, a entrada é gratuita para todos.
Onde: Pinacoteca de São Paulo (Praça da Luz, 2 | São Paulo - SP)
Informações: pinacoteca.org.br

---

Histórias afro-atlânticas

O quê: A exposição coletiva apresenta cerca de 400 obras de mais de 200 artistas de origem africana, pertencentes ao acervo do MASP e a coleções brasileiras e internacionais, incluindo desenhos, pinturas, esculturas, filmes, vídeos, instalações e fotografias, além de documentos e publicações, de arte africana, europeia, latino e norte-americana, caribenha, entre outras.
Quando: Até 21/10. Terça a domingo, das 11h às 20h.
Onde: Instituto Tomie Ohtake (Av. Brigadeiro Faria Lima, 201 – Pinheiros | São Paulo – SP )
Informações: www.institutotomieohtake.org.br

---

Jean-Michel Basquiat: obras da coleção Mugrabi

O quê: Depois de passar pelos CCBB de São Paulo, Belo Horizonte e Brasília, a maior exposição já realizada na América latina sobre o artista plástico novaiorquino de origem afro-caribenha Jean-Michel Basquiat (1960-1988) chega ao Rio de Janeiro. A retrospectiva reúne mais de 80 obras entre pinturas, desenhos, gravuras e pratos pintados pelo nova-iorquino, que teve produção marcante e até hoje exerce influência na cultura pop, incluindo peças raras.
Quando: De 12 a 22/10. Gratuito.
Onde: CCBB Rio de Janeiro (Rua Primeiro de Março, 66 - Centro | Rio de Janeiro - RJ)
Informações: (21) 3808-2020 | www.bb.com.br/cultura

---

Ciclo de Debates Caminhos do Contemporâneo

O quê:  O propósito do evento é discutir, de maneira dialética, as comunicações não lineares entre o ver, o dizer e o fazer mediante as temáticas das artes, da moda e do ensino sensível contemporâneo, por meio de diferentes pesquisas e múltiplos olhares. A entrada é gratuita e as inscrições  devem ser feitas previamente
Quando: Dias 24, 25 e 26 de outubro de 2018, das 14h30min às 17h.
Onde: Museu Victor Meirelles (Rua Rafael Bandeira, nº 41, Centro | Florianópolis – SC)
Informações: (48) 3222-0692

---

Circuito Museus de Botafogo + Concerto

O quê: Mais uma edição da ação realizada pelo Museu Villa-Lobos em parceria com a Casa de Rui Barbosa, que leva visitantes a um passeio guiado pelas duas instituições, ambas situados em casarões do século XIX no bairro de Botafogo, no Rio de Janeiro (RJ), incluindo um concerto musical didático.
Quando: Dia 17/10, às 12h. Ingresso: R$ 1.
Onde: Ponto de encontro e partida na Livraria Travessa de Botafogo (Rua Voluntários da Pátria, 97 | Botafogo | Rio de Janeiro - RJ)
Informações: (21) 97133 1822

---

Histórias no Convento

O quê: Voltado para estudantes do 1º ao 5º ano do ensino fundamental das redes pública e privada, o projeto oferece contação de histórias para grupos escolares previamente agendados.
Quando: Dia 18/12, às 10h e às 14h.
Onde: Museu de Arte Religiosa e Tradicional (Largo de Santo Antônio, s/nº - Antigo Convento N. Sra. dos Anjos | Cabo Frio - RJ)
Informações: (21) 2646-7959 | www.facebook.com/pg/martibram

 

Cursos e oficinas

X Seminário Memória Museologia e Patrimônio

O quê: Voltado a profissionais de museus e arquivos da Região, bem como estudantes de Museologia, Arquivologia, Biblioteconomia e áreas afins, evento objetiva discutir a importância dos arquivos institucionais de museus.
Quando: Dia 18/10, das 14h às 17h. Inscrições no local e entrega de certificado.
Onde: Museu do Homem do Nordeste (Avenida dezessete de agosto, 2187 | Recife - PE)
Informações: (081) 3073-6347 | estudos.muhne@fundaj.gov.br

---

Série Jardins e Paisagens: Restauro do jardim da Casa da Hera

O quê: A arquiteta Elena Gepetti é a convidada da série "Paisagens e jardins" no mês de outubro, para falar sobre o "Projeto de restauro dos jardins do Museu Casa da Hera".
A Chácara da Hera é uma antiga propriedade do século XIX que pertenceu à influente família Teixeira Leite e que, a partir de 1968, se tornou um museu casa aberto ao público, hoje pertencente à rede Ibram.
Quando: Dia 23/10, das 14h30 às 17h30.
Onde: Casa de Rui Barbosa (Rua São Clemente, 134 - Botafogo | Rio de Janeiro - RJ)
Informações: (21) 3289-4600 | comunica@rb.gov.br

---

1º Encontro Regional de Museus da Capital de São Paulo

O quê: O encontro tem por objetivo articular instituições museais e correlatas, profissionais, estudantes e entusiastas, para construção de uma rede de fortalecimento regional do setor, incentivando experiências e práticas colaborativas que possam apoiar a efetivação do Cadastro Estadual de Museus (CEM-SP).
Quando: Dia 22/10, das 10h às 16h.
Onde: Auditório da Secretaria da Cultura do Estado (Rua Mauá, 51 – Luz | São Paulo – SP)
Informações: www.sisemsp.org.br | http://bit.ly/1ERMCapital

---

Plano Museológico: implantação, gestão e organização de museus

O quê: Curso abordará o principal instrumento voltado à gestão de museus, obrigatório a partir do Decreto 8124/2013. Ministrado pela museóloga Lucienne Figueiredo, assessora-chefe do Sistema Estadual de Museus do Rio de Janeiro (SIM-RJ).
Quando: Dias 24 e 25/10. Inscrições gratuitas no loval (25 vagas).
Onde: Loja Maçônica Luz e Brio (Rua Alexandre Polastri, 09 - Jardim Polastri | Quatis - RJ)
Informações: (24) 3353 2615