Boletim eletrônico Nº 720 - Ano XV - 21 a 28 de dezembro de 2018

---

Ibram divulga identidade visual para a Semana de Museus de 2019

Imagem_Boletim_ 17 SNM

O Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) lançou na quinta-feira (20), a identidade visual da 17ª Semana Nacional de Museus. Com o tema Museus como Núcleos Culturais: o Futuro das Tradições, a temporada de eventos acontecerá de 13 e 19 de maio de 2019.

As instituições interessadas em participar da 17ª edição da Semana de Museus devem programar suas atividades em torno do tema e fazer a inscrição preenchendo o formulário eletrônico disponível no site do Ibram até o dia 17 de março. Saiba mais sobre o tema.

Para mais informações clique aqui ou entre em contato pelos telefones (61) 3521.4135 e 3521.4142 ou através do endereço eletrônico: semana@museus.gov.br

Sobre a identidade visual

O pássaro Sankofa, que aparece na arte da 17ª Semana de Museus, é um símbolo africano Adinkra desenvolvido pelo grupo cultural Akan. Com a cabeça voltada para trás e os pés voltados para frente, o pássaro simboliza o retorno ao passado para ressignificação do presente, visando o futuro.

A conexão com o tema escolhido para essa edição da Semana acontece, pois Museus como Núcleos Culturais: o Futuro das Tradições carrega em si a ideia de que as instituições de cultura são espaços onde presente, passado e futuro estão em constante interação, mas sempre buscando manter e respeitar as singularidades de cada tempo e espaço.

As peças gráficas com a identidade visual para a divulgação da 17ª Semana de Museus estarão disponíveis para download a partir de janeiro.

---

Secult do Espírito Santo recebe treinamento para operacionalizar o Registro de Museus

cpai_secult_es

Na terça-feira (18), a museóloga Paula Nunes, da Secretaria de Estado da Cultura do Espírito Santo (Secult-ES), recebeu da equipe da Coordenação de Produção e Análise da Informação (CPAI/CGSIM/Ibram) treinamento no uso da plataforma Museusbr para o início das operações do Registro de Museus pela Secult-Es.

O treinamento faz parte do plano de trabalho tratado ainda na assinatura do Termo de Reciprocidade entre o Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) e a Secult-ES firmado em maio deste ano, que contempla a estruturação de processos de trabalho compartilhados nas plataformas Mapa Cultural ES (Secult-ES), Museusbr (Ibram/MinC) e Mapa da Cultura (SNIIC/MinC).

Além do Espírito Santo, o Ibram assinou, no mês de julho, com a Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo (SEC-SP) o Termo de Convênio para a operação do Registro de Museus também naquele estado. A intenção desses acordos de cooperação é dar uma maior capilaridade à atuação do Ibram e na formalização dos museus a partir do acompanhamento das dinâmicas de criação, fusão, incorporação, cisão ou extinção de museus.

A previsão para o início da operação do Registro de Museus pela Secretaria de Estado da Cultura do Espírito Santo é o primeiro trimestre de 2019.

O Registro de Museus

Instrumento da Política Nacional de Museus, previsto pelo Estatuto de Museus (Lei 11.904/2009) e seu Decreto regulamentador (Decreto nº 8.124/2013), instituído pela Resolução Normativa nº 1/2016, o Registro de Museus visa criar mecanismos de coleta, análise e compartilhamento de informações sobre os museus brasileiros, com o propósito de aprimorar a qualidade de suas gestões e fortalecer as políticas públicas setoriais.

Foto: Da esquerda para a direita, Rafaela Gueiros de Lima (Coordenadora de Produção e Análise da Informação – CPAI), Paula Nunes (Secult-ES), Yris Lira (CPAI) e Michel Correia (CPAI).

---

Lançada nova edição da Revista Ventilando Acervos

48396879_10205409416711189_3506417193149530112_o

Já está no ar a mais recente edição da Revista Ventilando Acervos, publicação online editada pelo Grupo de Estudos Política de Acervos, do Museu Victor Meirelles.

Dedicada a reunir e socializar práticas e conhecimentos acerca da gestão de acervos em museus, a revista eletrônica traz neste número artigos de Ronaldo Vasques, Fabrício Fortunato, Helena Medeiros, Camila Ventura e Rose Debiasi; relatos de experiência de Diogo Gomes, Nathália Freitas e Elizabeth Pougy; e resenha de Vera Lucia Siqueira.

A Revista Ventilando Acervos busca reunir um arcabouço teórico para auxiliar os museus a elaborar suas Políticas de Acervos, trocando práticas e exemplos de referência para reflexão sobre as atividades realizadas, os profissionais envolvidos, as dificuldades encontradas e os caminhos escolhidos.

Com periodicidade anual, a publicação realiza seleção de conteúdo através de chamadas públicas, oferecendo a pesquisadores e profissionais de museus brasileiros e do exterior a oportunidade de compartilhar com a comunidade de leitores interessados suas reflexões e atividades realizadas nesta área.

Confira a edição atual da Revista Ventilando Acervos na íntegra.

---

Museu da Inconfidência encerra ano com exposição do artista mineiro Tunico dos Telhados

DSC04969-min

Ouropretano nascido em 1952, Antônio Marcos de Paula, mais conhecido como Tunico de Ouro Preto ou Tunico dos Telhados, começou a pintar na infância e adotou os telhados do casario da cidade histórica mineira como principal temática de seu trabalho. Sua obra é o tema de exposição que encerra o calendário 2018 do Museu da Inconfidência e abre ao público nesta sexta-feira (21).

O artista mineiro trabalha a arte figurativa em uma visão peculiar sobre os telhados dos casarios de Ouro Preto. Tunico busca inspiração na arquitetura colonial e no estilo barroco típico da Vila Rica do século XVIII, sendo marcante a influência da obra literária "Romanceiro da Inconfidência”, de Cecília Meireles.

Com curadoria de Margareth Monteiro e Janine Ojeda, a exposição apresenta vinte obras em acrílica sobre tela que apresentam o olhar do artista também sobre as antigas sacadas das fachadas coloniais, do casario e igrejas de Ouro Preto. São apresentados ainda elementos construtivos da arquitetura colonial pertencentes ao acervo do museu e colecionadores com o objetivo de reproduzir parte da fachada do casario colonial típico de da cidade.

“A arte figurativa de Tunico dos Telhados” poderá ser visitada até 10 de fevereiro de 2019. O Museu da Inconfidência funciona de terça a domingo, das 10h às 18h. Saiba mais.

---

Museu das Missões participa de curso sobre biodeterioração de bens culturais

49085495_2352611178099945_4661688298270359552_o

O Museu das Missões, em São Miguel das Missões (RS), participou esta semana de curso organizado pela Superintendência do Iphan no Rio Grande do Sul sobre biodeterioração de bens culturais. O curso foi promovido em parceria com a Associação Victorino Fabião Vieira, entidade sem fins lucrativos que tem como objetivo a preservação do patrimônio cultural no estado.

Ministrado pela arquiteta Verônica Benedetti, especialista em restauro de materiais pétreos e cerâmicos, a atividade abordou entre a última terça e esta sexta-feira (18 a 21) a conservação e preservação de bens culturais que integram o acervo pétreo da região missioneira, onde o Museu das Missões, que integra a rede Ibram, está localizado. Dois membros da equipe participaram da atividade, entre eles o restaurador do museu.

Com momentos teóricos e práticos, o curso contou com atividades orientadas de conservação e preservação de peças compostas por arenito/pedra grês, material constituinte de elementos arquitetônicos e bens móveis integrados da região. Entre as peças trabalhadas esteve uma pia batismal da época em que os povoados missionais se estabeleceram na região onde hoje é o Rio Grande do Sul (bem como Argentina e Paraguai) nos séculos XVII e XVIII.

Durante o curso, os participantes realizaram visita técnica ao Sítio Histórico São Miguel Arcanjo, em São Miguel das Missões, e foi realizada atividade junto aos remanescentes preservados no Sítio Arqueológico de São João Batista, na cidade de Entre-Ijuis (RS). Gratuito, o curso contou com a participação de profissionais e técnicos ligados à preservação na Região Missioneira, que está localizada no noroeste do Rio Grande do Sul e engloba 26 municípios.

“Foi uma boa oportunidade de qualificação da equipe técnica do museu e ampliação dos conhecimentos de conservação e restauro de acervo pétreo, pois nossa coleção possui itens de arenito/pedra grês, a exemplo de uma imagem identificada como de São Francisco Xavier e uma outra imagem de São Pedro, ambas em exposição no Pavilhão Lucio Costa”, explica o diretor do Museu das Missões, Diego Luiz Vivian.

De acordo com o diretor do museu, o curso também pode favorecer a construção de futuras parcerias entre Iphan e Ibram para preservação dos remanescentes dos povoados missionais, conhecidos hoje como os Sete Povos das Missões Orientais, tendo em vista a vocação do museu para ser um "museu de sítio".

Construções pétreas guaranis

O antigo templo do povoado de São Miguel Arcanjo foi todo construído pelos índios guaranis da região utilizando a pedra grês/arenito. Foram cerca de dez anos de construção, que envolveu cerca de mil índios.

Os guaranis trouxeram todas as pedras utilizadas na obra de uma pedreira localizada a uma distância de 18 km do povoado e do atual centro da cidade de São Miguel das Missões, no que hoje se chama de Arroio Santa Bárbara, onde é possível encontrar os vestígios arqueológicos dessa empreitada realizada no século XVIII. As casas dos índios, o cotiaguaçu (casa das viúvas e órfãos), o cabildo, pisos e calçamentos do local também foram estruturas construídas com arenito pelos indígenas.

---

Museu da República encerra o ano com nova exposição de quatro artistas

veio_obras_quimera_museuda republica

O Museu da República/Ibram inaugurou no sábado (15) a exposição Quimera, que reúne três gerações e quatro artistas. Com curadoria de Isabel Sanson Portella e Ricardo Kuguelmas, e obras de Ana Prata, Bruno Dunley, Véio e Liuba Wolf a exposição trata-se de um diálogo de gerações onde a exaltação imaginativa em diferentes técnicas aparece como destaque.

A Quimera mitológica, símbolo complexo de criações imaginárias do inconsciente, representa a força devastadora dos desejos frustrados, dos sonhos que não se realizam, da utopia e fantasias incongruentes. Monstros fabulosos alimentam, desde sempre, a imaginação do homem com devaneios necessários à expansão da alma.

A exposição Quimera está em cartaz na Galeria do Lago, com entrada franca, de terça a sexta, das 10h às 12h e das 13h às 17h e aos sábados, domingos e feriados, das 13h às 18h. O Museu da República, que fica na Rua do Catete, 153, Catete, no Rio de Janeiro (RJ).

 

SAIBA MAIS SOBRE OS ARTISTAS

Liuba Wolf
Inserida na tradição da escultura moderna desde os anos 1950, é considerada uma das pioneiras entre as artistas mulheres que se dedicaram à arte de esculpir. Inicialmente figurativa, a artista passou, a partir dos anos 1960, por uma significativa mudança formal que a levou à “quase abstração”, tendo a figura do animal como referência. Suas obras, como a própria artista afirma, vêm do inconsciente e são uma “simbiose entre vegetal e animal. ” A força e beleza de seus trabalhos inspirou, certamente, toda uma geração de artistas que se seguiu.

Véio
Artista sergipano dos mais destacados na arte popular brasileira, utiliza a madeira para representar o seu olhar crítico sobre o homem e a vida no sertão nordestino. Transforma restos de troncos da beira do rio, em esculturas coloridas, seres imaginários e personagens místicos que surgem das histórias de assombração ouvidas na infância. O universo de Véio, autodidata e muito enraizado em sua terra natal, é povoado pela tradição popular que o faz perceber o poder da transformação e da luta pela forma pura.

Ana Prata
A artista entende a pintura como meio de experimentação e linguagem. Seus trabalhos apresentados em Quimera trazem algumas propostas bastante significativas nesse diálogo de gerações e lugares de fala. A procura pela liberdade, o prazer criativo e a imaginação são pontos em comum nos quatro artistas selecionados. Para Ana Prata é importante variar, criar sempre algo novo para que outros sentimentos aflorem. Sua obra está aberta a novas propostas e respostas. E é sempre no olhar do expectador que a narrativa se completará.

Bruno Dunley
Sua prática é voltada para a abstração gestual, sem, entretanto, perder o foco na representação dos objetos. Para ele existe uma mudança fundamental na função da imagem que deixa de ser forma única de apresentação de uma idéia. As cores utilizadas, delicadas mesmo quando as imagens são violentas, aparecem ora em manchas, ora como fundo para os desenhos. Quase sempre há uma cor predominante, pastel seco aplicado com vigor além de traços em carvão. Bruno não procura a beleza perfeita e absoluta, mas cada vez mais pensa em uma beleza possível, direta. Algo que faça o espectador apurar o olhar e criar sua própria experiência sensorial.

Foto: Obra do artista Véio, na exposição Quimera. Divulgação: Museu da República/Ibram.

---

MinC abre consulta pública para reestruturar CNPC

cnpc-interna

O Ministério da Cultura (MinC) abriu na última segunda-feira (17) consulta pública para a elaboração de novo decreto do Conselho Nacional de Política Cultural (CNPC), órgão responsável por propor a formulação de políticas públicas para o desenvolvimento e o fomento das atividades culturais no Brasil. Qualquer pessoa pode participar. As contribuições podem ser feitas até 31 de janeiro de 2019 pela plataforma digital do CNPC.

Os interessados em participar devem fazer o cadastro no ID da Cultura, colocando nome, e-mail e CPF (veja o passo a passo). Em seguida, na página da consulta, o participante cadastrado poderá inserir comentários com proposições de alteração ao texto em cada parágrafo da minuta do decreto. A nova proposta seguirá as diretrizes apresentadas na Nota Informativa do Ministério da Cultura (MinC) de dezembro de 2017.

Composição

A atual composição e funcionamento do CNPC foi estabelecida pelo Decreto nº 5.520/2005 e passou por duas atualizações, por meio da edição do Decreto nº 6.973, de 07 de outubro de 2009, e do Decreto nº 8.611, de 21 de dezembro de 2015.

O Conselho é composto por Plenário, Comitê de Integração de Políticas Culturais, Conferência Nacional de Cultura, Comissões Temáticas ou Grupos de Trabalho e Colegiados Setoriais de áreas técnico-artísticas e de patrimônio. Sua estrutura fixa envolve mais de 600 pessoas, sendo os 540 integrantes dos Colegiados Setoriais, entre titulares e suplentes, escolhidos em processo eleitoral nacional.

O Plenário do CNPC é composto por 76 integrantes, entre representantes do poder público federal, estadual e municipal, da sociedade civil e convidados, com mandato de dois anos. A presidência do CNPC e de seu plenário está a cargo do ministro da Cultura e, na ausência dele, do secretário-executivo do Ministério.

---

Universidade Lusófona recebe inscrições para bolsas de doutorado em Museologia

A Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias de Portugal recebe até o dia 15 de janeiro de 2019 inscrições para o Programa de Bolsas de Estudo para o curso de doutoramento em Museologia do Instituto de Educação, no âmbito da Cátedra Unesco “Educação, Cidadania e Diversidade Cultural”.

Aberto a toda a Comunidade de Países de Língua Portuguesa, o programa oferece 8 bolsas de estudo com duração de 36 meses, podendo ser prorrogadas no máximo por igual período. Interessados devem encaminhar até a data limite pedido de atribuição de bolsa à coordenação do curso, acompanhado de um conjunto de documentos exigidos.

As pesquisas a serem realizadas durante o curso deverão articular-se com os instrumentos orientadores da Unesco, nomeadamente a Convenção da Unesco sobre a Proteção e Promoção da Diversidade das Expressões Culturais e a Recomendação da Unesco Relativa à Proteção e Promoção dos Museus e das Coleções, da sua Diversidade e sua Função Social. O curso terá início em março de 2019.

Mais informações aqui  ou em www.museologia-portugal.net. Dúvidas podem ser encaminhadas para o endereço eletrônico museologia@ulusofona.pt.

 

Agendas

Moda indígena do tradicional ao atual

O quê: Ministrada por Ana Lúcia da Cunha e Silva, palestra abordará os diversos processos e matérias-primas utilizados pelas tribos indígenas da Amazônia, (algodão, pintura, couro) que abasteceram a moda europeia.
Quando: Dia 27/12, às 14h. Entrada gratuita (será oferecido certificado).
Onde: Casa da Marquesa de Santos - Museu da Moda Brasileira (Av. Dom Pedro II, 293 - São Cristóvão | Rio de Janeiro - RJ)
Informações: (55) 2122-1685

---

A presença de Cristo no acervo MHN

O quê: Durante a visita guiada, os participantes, jovens e adultos, farão uma visita à exposição de longa duração “Portugueses no Mundo”, na qual poderão conhecer e entender sobre as diversas representações de Jesus Cristo e a relação de sua imagem com o ideal civilizatório que forjou a sociedade do Brasil colonial. A atividade é acessível para pessoas com deficiência visual
Quando: Dia 23/12, às 14h. Entrada franca.
Onde: Museu Histórico Nacional (Praça Marechal Âncora, s/n | Rio de Janeiro - RJ)
Informações: (21) 3299 0324 | mhn.educacao@museus.gov.br

---

Rubem Valentim: construções afro-atlânticas

O quê: Com curadoria de Fernando Oliva, exposição traz 90 obras do pintor, escultor e gravador baiano Rubem Valentim (1922-1991), figura fundamental da arte brasileira e das histórias afro-atlânticas no século 20.
Quando: Até 10/3 de 2019,
Onde: Museu de Arte de São Paulo (Av. Paulista, 1578 | São Paulo - SP)
Informações: (11) 3149 5959 | masp.org.br

---

O ordinário Rafael Sica

O quê: A exposição reúne mais de 200 obras entre originais do autor, gravuras e pinturas que traçam um panorama da carreira do quadrinista e ilustrador, considerado um dos principais nomes das histórias em quadrinhos da atualidade.
Quando: Até 13/1 de 2019. Terça-feira a domingo, das 10h às 21h.
Onde: CAIXA Cultural Rio de Janeiro (Av. Almirante Barroso, 25 - Centro | Rio de Janeiro - RJ)
Informações: (21) 3980-3134 | www.caixacultural.gov.br

---

Rosana Paulino: a costura da memória

O quê: Com curadoria de Valéria Piccoli e Pedro Nery, trata-se da maior exposição individual da artista em uma grande instituição no país. Reconhecida pelo enfrentamento de questões sociais que despontam da posição da mulher negra na sociedade contemporânea, a artista apresenta mais de 140 obras produzidas ao longo de vinte e cinco anos. A mostra encerra o ano dedicado às artistas mulheres na Pinacoteca.
Quando: De 8/12 de 2018 a 4/3 de 2019. De quarta a segunda, das 10h às 17h30 – com permanência até as 18h.
Onde: Pinacoteca de São Paulo (Praça da Luz, 2 | São Paulo - SP)
Informações: (11) 3224-1000 | www.pinacoteca.org.br

 

Cursos e oficinas

Curso de Especialização em Museus, Identidades e Comunidades

O quê: Objetivo do curso de pós-graduação, que abordará a temática da museologia sociocomunitária, é formar especialistas capazes de desenvolver atividades integradoras dos museus junto às comunidades, atuando em ecomuseus, museus comunitários e iniciativas comunitárias de memória e patrimônio.
Quando: Março a dezembro de 2019 (carga horária: 378 horas/aula).
Onde: Fundação Joaquim Nabuco (Rua Henrique Dias, nº 609 - Derby | Recife - PE)
Informações: http://bit.do/eDFaM

---

Pós-graduação - Curadoria em Arte

O quê: Curso objetiva especializar o profissional para atuar como curador de arte, nas esferas privada, pública e de organizações sociais em sintonia com as tendências do mercado e do sistema contemporâneo de arte, a partir de uma visão crítica e ética para a implementação de projetos transdisciplinares.
Quando: De março/2019 a junho/2020. Inscrições online (link abaixo).
Onde: SENAC LAPA SCIPIÃO (Rua Scipião, 67 - Lapa | São Paulo - SP)
Informações: http://bit.do/eCXGd