Boletim eletrônico Nº 729 - Ano XVI - 5 a 12 de abril de 2019

---

Ranking mundial de visitação em 2018 traz várias exposições brasileiras

Ranking Art Newpaper 2018

A revista britânica The Art Newspaper divulgou nesta segunda-feira (1º) o resultado de sua pesquisa anual sobre as exposições e museus mais visitados no ano de 2018 e o Brasil aparece na lista com 64 exposições. A mostra FILE – Festival Internacional De Linguagem Eletrônica, que aconteceu no Centro Cultural Banco do Brasil do Rio de Janeiro (CCBB-RJ), de 13 de abril a 4 de junho de 2018 e atraiu 264.922 visitantes, aparece na 11ª colocação mundial das exposições mais visitadas e em terceiro lugar no ranking TOP 10 Contemporary.

Desde a primeira vez que participou da pesquisa, ainda no ano de 2011 com as mostras realizadas em 2010, o país vem se destacando. Entre os 100 museus de arte mais visitados em 2018, cinco são brasileiros. São eles: o CCBB-RJ, que recebeu 1.388.664 visitantes em 2018, ocupando o 42º lugar; o CCBB-Brasília, com 1.146.995 visitantes, na 57ª colocação; o CCBB-SP, com um público de 931.980 pessoas (85º lugar); o Instituto Tomie Ohtake, com 898.147 visitantes e o CCBB-BH, com um público de 893.772 visitantes (92º e 93º lugares, respectivamente).

Outras instituições brasileiras estão presentes na lista de exposições mais vistas: além das citadas acima, estão ainda a Caixa Cultural Brasília, a Caixa Cultural São Paulo, a Casa Fiat de Cultura, o Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo (MAC USP), o Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand (MASP), o Museu Nacional do Conjunto Cultural da República Honestino Guimarães, o Museu Oscar Niemeyer e a Pinacoteca do Estado de São Paulo.

A publicação destaca que, a cada ano, o CCBB tem aparecido regularmente entre as 20 mais visitadas e que, entre outros fatores, a gratuidade nas exposições tem sido fator atrativo para o público. Nos rankings temáticos, o CCBB-RJ também se destaca com a mostra Ex África, realizada de 20 de janeiro a 26 de março de 2018, com 261.647 visitantes. Já a mostra Museu do Futebol na Área, realizada no CCBB-BH, de 15 de agosto a 15 de outubro, atraiu um público de 160.983 pessoas.

Na categoria Top 15 big ticket attractions, a 11ª Bienal do Mercosul: Triângulo do Atlântico, em Porto Alegre, atraiu um público de 626.357 pessoas.

Destaque para a Arte Brasileira

No ranking figuram também duas exposições que mostravam trabalhos de artistas brasileiros: a mostra Tarsila Do Amaral: Inventing Modern Art in Brazil, realizada no Museu de Arte Moderna de Nova York entre 11 de fevereiro e 3 de junho de 2018, e atraiu 258.313 visitantes; e a Works from Argentina and Brazil, no Getty Center de Los Angeles, de 16 de setembro de 2017 a 11 de setembro do 2018, com 255.004 visitantes.

Confira o encarte (PDF) especial da publicação britânica The Art Newspaper – Visitor Figures 2018, que apresenta e analisa os números de visitação a museus e exposições em todo o mundo.

---

Formulário de Visitação Anual deve ser preenchido até o dia 30

FVA museusbr

Museus de todo o país têm até o final deste mês para enviar seus dados de visitação em 2018. Para tanto, basta acessar a página do museu disponível na plataforma Museusbr e preencher o Formulário de Visitação Anual – FVA 2018.

Tais informações são essenciais para o monitoramento de diretrizes, estratégias, ações e metas estabelecidas em políticas públicas, como o Plano Nacional de Cultura, o Estatuto dos Museus e o Plano Nacional Setorial de Museus e para o desenvolvimento do setor.

Criado pelo Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), o FVA é aplicado desde 2015 para que a coleta de informações sobre a visitação nos museus brasileiros seja feita de maneira padronizada e organizada, conforme determinado na Lei nº 11.904/2009 e no Decreto nº 8.124/2013.

Participe do FVA 2018 enviando os dados do seu museu! O preenchimento pode ser feito até o dia 30 de abril. Saiba mais sobre o Formulário de Visitação Anual.

---

Iphan garante cerca de R$ 1 milhão para restauro no Museu da República

museu-republica-750x450

O Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) oficializou no último dia 28 a destinação de cerca de R$ 1 milhão para obras de restauro no Museu da República, situado no Rio de Janeiro (RJ) e integrante da rede Ibram.

Publicado no Diário Oficial da União, o Termo de Execução Descentralizada Nº 336, do PAC Cidades Históricas, garante aporte de R$ 971.842,05 para a realização de obras destinadas à adequação e modernização do sistema elétrico dos anexos I e II do museu e de seu jardim histórico.

Situados em dois prédios históricos, os anexos I e II do Museu da República abrigaram os ministros da República até 1960, quando a capital foi transferida para Brasília. As edificações anexas ao Palácio do Catete, antiga sede do poder executivo federal, hoje abrigam biblioteca, sala de cinema, três pequenos auditórios, o corpo administrativo e o gabinete da direção do museu, além de seus setores educativo, cultural e de comunicação.

Tombado como patrimônio histórico junto com o Palácio do Catete em 1938, o jardim histórico do séc. XIX, aberto ao público em 1960 e bastante visitado diariamente, é uma atração à parte no Museu da República. Suas instalações elétricas, consideradas inovadoras à época de sua construção, receberão agora mais uma atualização.

Segurança

“É uma notícia extraordinária porque se trata de revisão no sistema elétrico. A sociedade brasileira acabou de saber que foi o curto-circuito num ar condicionado o fator de origem do incêndio no Museu Nacional. Trata-se, portanto, de uma ação, sobretudo, de segurança”, comemorou o diretor do Museu da República, o museólogo, professor e poeta Mário Chagas.

Com a garantia dos recursos para a intervenção física, explica Chagas, o Museu da República publicará em breve edital de licitação para contratação da empresa que fará as obras. A previsão é de que o contrato seja assinado até o mês de junho. “Vejo esse investimento como um grande presente para os 130 anos da Proclamação da República, comemorados neste ano de 2019”, afirma o diretor do museu.

(Com Informações da Secretaria Especial da Cultura)

---

Museu Lasar Segall participa da 15ª SP-Arte

oie_s7uBCG0TtWew

O Museu Lasar Segall, integrante da rede Ibram em São Paulo (SP), participa até o próximo domingo (7) da 15ª edição da SP-Arte – Festival Internacional de Arte de São Paulo, que acontece no Pavilhão da Bienal (Parque do Ibirapuera).

Criado em 2005, o evento é um dos mais importantes do mercado global de artes e conta com a participação de consagradas galerias internacionais, museus e instituições culturais, proporcionando encontro criativo anual entre colecionadores, profissionais e amantes da arte e do design, além de fomento à economia criativa brasileira.

O Museu Lasar Segall lança na 15ª SP-Arte a primeira gravura realizada no Ateliê Residência, mais novo programa da instituição. A residência tem como objetivo incentivar o desenvolvimento e produção da gravura no Brasil, além de aprofundar o conhecimento sobre o museu – situado na antiga residência e ateliê do pioneiro da arte moderna brasileira nascido na Lituânia (1889-1957).

A cada ano, dois artistas serão convidados a produzir uma litografia, xilogravura ou gravura em metal no ateliê da Vila Mariana onde Lasar Segall trabalhou em suas últimas três décadas de vida, espaço paradigmático do modernismo brasileiro. A casa onde Segall viveu e seu ateliê, que hoje abriga cursos práticos e teóricos oferecidos pelo Museu Lasar Segall, foram projetados em 1932 pelo arquiteto Gregori Warchavchik, concunhado do artista e precursor da arquitetura moderna no Brasil.

O primeiro artista convidado pelo programa é Alex Cerveny, nascido em São Paulo em 1963. Na 15ª SP-Arte, o Museu Lasar Segall apresenta ao público sua obra A vida dos navios (20 x 24,5 cm), água-forte de 2018 produzida em edição de 30 exemplares. A obra faz referência às muitas viagens que Lasar Segall, emigrado para o Brasil devido à perseguição aos judeus na Europa, empreendeu durante sua vida.

Além do lançamento, o museu participa da edição 2019 da SP-arte com publicações e reimpressões de gravuras de Lasar Segall. Saiba mais sobre a SP-Arte e visite o Museu Lasar Segall.

---

Mais dois museus da rede Ibram ganham regimento interno

907001_414193328676620_1897274390_o

Duas instituições vinculadas ao Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) passaram a contar, esta semana, com regimentos internos.

O Museu do Diamante, em Diamantina (MG), e o Museu das Missões, em São Miguel das Missões (RS), são os mais novos museus da rede Ibram a contar com o instrumento de gestão, previsto pela Lei 11.904/2009 (Estatuto de Museus) e tornado obrigatório para todos os museus Ibram pela Portaria Nº 110, de 8 de outubro de 2014 (Regimento Interno do Ibram).

O Regimento Interno é um documento de organização interna que traz definições importantes para o funcionamento de um museu, como sua natureza, missão e objetivos; estrutura administrativa; responsabilidades de seus setores internos; e atribuições de dirigentes e servidores. Também formaliza diretrizes e procedimentos, assegurando maior transparência e comunicação entre todos os envolvidos na prestação dos serviços que cada museu oferece à sociedade.

O Museu do Diamante teve seu Regimento Interno oficializado pela Portaria Nº 127, de 1º de abril de 2019. O documento define como sua missão a “promoção da história e da memória da indústria da mineração diamantífera e aurífera, por meio da sua influência na conformação urbana, social e cultural de Diamantina e de outras regiões do país, além de estimular a pesquisa, a arte, a cultura e a educação, priorizando a universalidade do acesso dos cidadãos aos bens culturais musealizados que compõem os seus acervos”.

Já o Regimento Interno do Museu das Missões foi oficializado com a publicação da Portaria Nº 128, de 1º de abril de 2019. A missão da instituição, segundo o texto legal, é “pesquisar, documentar e divulgar a experiência histórica missioneira, através de um pensamento crítico sobre as relações entre patrimônio cultural, arte, história e memória, estimulando na população local e visitantes a reflexão sobre o legado cultural dos remanescentes históricos da região missioneira do Rio Grande do Sul”.

A missão definida por cada instituição em seu regimento coincide com aquela estabelecida em seu plano museológico – outro instrumento de gestão básico para um museu. Os regimentos internos dos dois museus, assim como seus planos museológicos, foram elaborados com o apoio técnico de servidores do Ibram em Brasília (DF). O corpo de 30 museus da rede Ibram prevê 24 regimentos internos, dos quais dez já foram oficializados legalmente e 9 estão em processo de elaboração.

---

Mestrado em Museologia da UFBA lança edital para ingresso no segundo semestre

A Coordenação do Programa de Pós-Graduação em Museologia da Universidade Federal da Bahia (PPGMUSEU-UFBA) publicou na última terça-feira (2) edital destinado à seleção de alunos regulares para ingresso no segundo semestre letivo de 2019.

Serão oferecidas 16 vagas distribuídas entre as duas linhas de pesquisa do programa, sendo 8 vagas para a Linha 1 – Museologia e Desenvolvimento Social e 8 vagas para a Linha 2 – Patrimônio e Comunicação.

Para a ocupação das vagas, também serão observados critérios específicos às Políticas de Ações Afirmativas (considerando a Portaria Normativa do Ministério de Educação, nº 13, de 11 de maio de 2016), bem como relacionados a candidatos estrangeiros.

As etapas do processo seletivo incluem inscrição, exame escrito (eliminatório), exame oral (eliminatório e classificatório) e prova de idiomas (classificatória). As inscrições poderão ser feitas de 29 de abril a 23 de maio.

Mais informações sobre o Programa de Pós-Graduação em Museologia, bem como sobre o Processo Seletivo, podem ser obtidas na página do Programa ou através do e-mail ppgmuseu@ufba.br.

 

Agendas

Djanira: a memória de seu povo

O quê: Primeira grande exposição monográfica dedicada à obra de Djanira da Motta e Silva (Avaré, São Paulo, 1914– Rio de Janeiro, 1979) desde seu falecimento há quarenta anos. A exposição inclui obras de todos os períodos de produção da artista, autodidata e de origem trabalhadora, do início dos anos 1940 ao final dos anos 1970, reunindo seus principais temas: retratos e autorretratos, diversões e festejos populares, o trabalho e os trabalhadores, a religiosidade afro-brasileira e católica, os indígenas Canela do Maranhão, entre diversos povos e paisagens brasileiros.
Quando: Até 19/5. Terças, das 10h às 20h. Quarta a domingo, das 10h às 18h.
Onde: Museu de Arte de São Paulo (Av. Paulista, 1578 | São Paulo - SP)
Informações: masp.org.br

---

África e a Volta dos espíritos

O quê: Exposição reúne esculturas, máscaras, asens e moedas produzidas em cobre, madeira, tecido, miçangas e fibra vegetal dos tradicionais povos africanos Guro, Fon, Senufo, Iorubá, entre outras etnias.
Quando: Até 7/4 (visitação gratuita aos sábados). De terça a domingo das 10h às 17h.
Onde: Museu Afro Brasil (Avenida Pedro Álvares Cabral, s/n - Parque Ibirapuera | São Paulo - SP)
Informações: www.museuafrobrasil.org.br

 

Cursos e oficinas

3º Simpósio Científico 2019 - ICOMOS Brasil

O quê: O Simpósio Científico do Conselho Internacional de Monumentos e Sítios (ICOMOS) Brasil em 2019 apresentará um panorama das discussões sobre o patrimônio em nosso país e comemorará os 25 anos do Documento de Nara, discutindo as questões – profundamente interligadas e contemporâneas – da autenticidade e do risco.
Quando: De 8 a 10/5. Inscrições até 8/5. Envio de resumos até 12/4.
Onde: Centro de Atividades Didáticas 2 - Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG (Av. Pres. Antônio Carlos, 6627 – Pampulha | Belo Horizonte - MG)
Informações: https://bit.ly/2WLprae

---

Escrita de Projetos Culturais

O quê: Ministrada pela produtora cultural Amanda Prado, a oficina tem por objetivo compartilhar informações, dados e ferramentas de pesquisa para a prática da escrita de projetos, colocando assim as ideias no papel. Possibilidades de empreendedorismo cultural a partir da necessidade local e do desejo pessoal de cada um, além de conceitos de cultura – conhecimento, arte, hábitos culturais etc., são alguns dos temas abordados durante os encontros.
Quando: de 4 a 25/5. Sábados, 14h às 17h. Inscrições gratuitas a partir de 9/4 (confira site abaixo).
Onde: Oficina Cultural Alfredo Volpi (Rua Américo Salvador Novelli, 416 – Itaquera | São Paulo - SP)
Informações: https://bit.ly/2HKFj8G