Boletim eletrônico Nº 731 - Ano XVI - 19 a 26 de abril de 2019

---

Museus têm até o dia 30 para preencher o FVA 2018; saiba como

Banner_FVA 2018

Museus de todo Brasil têm até o dia 30 de abril para enviar os dados de visitação em 2018.

Para acessar o Formulário de Visitação Anual (FVA) – 2018, basta acessar o Mapa dos Museus disponível na Plataforma Museusbr, localizar a sua instituição através da ferramenta de busca e clicar no nome do museu que aparecerá na caixa de texto à esquerda da página.

Depois disso, é só atualizar as informações, entrando na aba do FVA, e preencher os campos do formulário, clicando em "Próximo" até o final do preenchimento e depois em "Enviar". Os dados serão compilados pelo Instituto Brasileiro de Museus (Ibram).

As informações são essenciais para o monitoramento de diretrizes, estratégias, ações e metas estabelecidas em políticas públicas e para o desenvolvimento do setor. Acesse aqui o passo a passo completo para preencher o FVA.

 

---

Ibram realiza levantamento sobre atividades das bibliotecas em seus museus

Biblioteca-Central-Ibram

Na última quarta-feira (17), o Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) iniciou a aplicação de questionário sobre as atividades das bibliotecas nos museus sob sua administração.

A iniciativa vai colher informações sobre os serviços de processamento técnico, circulação de itens, integração de gestão de acervos e sistemas de gestão de bibliotecas. A ideia é, a partir destas informações, realizar diagnóstico que subsidiará a elaboração de uma proposta de modernização da gestão das bibliotecas que integram a rede Ibram.

O Questionário Práticas e Integração de Bibliotecas de Museus (2019) é o instrumento que sistematizará os dados sobre as bibliotecas, permitindo a criação de indicadores para acompanhar e avaliar o processo de modernização a ser iniciado, sob responsabilidade da Coordenação Geral de Sistemas de Informação Museal (CGSIM) do Ibram.

De acordo com a coordenadora de Arquivos e Bibliotecas de Museus da CGSIM, Suelen Garcia Soares Vaz, a expectativa é viabilizar a implantação da Rede de Bibliotecas do Ibram, visando potencializar e agilizar o intercâmbio e uso de informações, além de expandir o acesso e disponibilidade para atender às necessidades e demandas de informação da comunidade científica das diversas áreas especializadas de cada museu.

"É um projeto-piloto que, além de ampliar troca de experiências, pretende desenvolver e compartilhar serviços entre as bibliotecas e futuramente estender a ação às demais bibliotecas de museus brasileiros", explica a coordenadora.

O prazo de aplicação do questionário vai até o dia 17 de maio e a previsão para a divulgação dos resultados é na segunda quinzena de junho. Para mais informações, entre em contato com a Coordenação de Arquivos e Bibliotecas de Museus através dos telefones: (61) 3521-4302, 4311, 4316 ou pelo e-mail cab.pesquisa@museus.gov.br.

---

Exposição no Museu Victor Meirelles celebra retorno à casa do pintor

Vista da cidade de Nossa Senhora do Desterro_Museu Victor Meirelles

O Museu Victor Meirelles/Ibram abre na próxima quarta-feira (24), às 19h, a exposição "A Casa da Porta Verde". A mostra celebra o retorno do museu a sua sede histórica, na Rua Victor Meirelles, em Florianópolis (SC), após a edificação ter passado por obras de restauração e ampliação que duraram três anos.

A exposição, com concepção e curadoria realizada de forma coletiva pelos servidores do museu, será a última realizada na sede provisória em que a instituição funciona desde o início das obras, situada na Rua Rafael Bandeira, 41. O retorno à sede original, na casa em que nasceu o pintor, desenhista e professor Victor Meirelles (1832-1903) está previsto para o início do segundo semestre.

O título dado à exposição, A Casa da Porta Verde, faz referência ao destaque que a antiga casa de Victor Meirelles, sobrado histórico que é típico exemplar do estilo luso-brasileiro, imprime à paisagem urbana daquele pedaço do centro de Florianópolis, se sobressaindo das demais construções não só por sua forma e estilo construtivo, mas também pelas janelas do segundo andar e as belas portas verdes que circundam todo o pavimento térreo.

Iniciando com a trajetória do pintor, seus estudos e retratos, e também com os trabalhos de seus mestres, a sequência da mostra chega às pinturas históricas buscando propor uma ligação destas com a própria casa enquanto patrimônio histórico nacional, tombado pelo Iphan em 1950.

Na sequência, o passado e o futuro da casa onde nasceu Victor Meirelles conduzem o visitante a apreciar os trabalhos que foram inspirados na então cidade do Desterro, atual Florianópolis. É o caso das “vistas” que remetem às atuais Praça XV de Novembro e Rua Trajano, esta última tela pintada a partir do adro da Igreja de Nossa Senhora do Rosário e São Benedito.

De volta ao tempo presente, o convite passa a ser olhar para o passado. O passado da cidade, da casa e, enfim, a restauração e a ampliação do museu. Para isso, na segunda sala da exposição, uma coleção de fotos se sucede na tela ilustrando a cronologia das obras iniciadas em abril de 2016 e toda a transformação por que passou o imóvel até se unir ao prédio de três andares, construído na década de 1960 ao lado da casa histórica.

Além das fotos, será exposta também neste nicho uma coleção de artefatos encontrados na área do museu durante o trabalho de escavação arqueológica realizado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) de Santa Catarina, responsável pela obra, por ocasião do restauro. A obra de restauração e ampliação do Museu Victor Meirelles foi realizada com recursos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) - Cidades Históricas, do governo federal.

A exposição "A Casa da Porta Verde" fica na sede provisória do Museu Victor Meirelles até 10 de agosto e pode ser visitada  de terça a sexta-feira, das 10h às 18h, e aos sábados, das 10h às 14h. A entrada é gratuita.

Foto: Vista parcial da cidade de Nossa Senhora do Desterro - atual Florianópolis, por Victor Meirelles. Óleo sobre tela, circa 1851. Reprodução: Ana Viegas.

---

Mostra reúne arte e tecnologia cognitiva no Museu da República

das tripas coracao_museu da republica 2

O Museu da República/Ibram, no Rio de Janeiro (RJ), apresenta na Galeria do Lago a exposição individual “Das tripas coração”, da artista visual Katia Wille.

A artista desenvolveu em parceria inédita com a Microsoft um conceito de máquinas cognitivas integradas ao ambiente. O projeto usa robótica e inteligência artificial para análise de ambiente e sentimentos e voz, conectando o público com as obras e proporcionando uma experiência única a cada espectador por meio da tecnologia.

A exposição conta com três obras e cada uma delas traz uma experiência diferente ao espectador. A primeira interage por meio de análise de aproximação e se movimenta conforme o deslocamento do público no ambiente, a segunda faz movimentações diferentes com base nos sentimentos e expressões faciais das pessoas. E a última reage por meio de interação por voz, se movimentando com base nas respostas dadas pelo visitante a determinadas perguntas feitas pela obra.

Para a curadora da exposição, Isabel Sanson Portella, “As obras de Katia Wille se espalham pelo espaço, suas figuras brilham com paixão e fúria. Os corpos incham em cor, elas balançam e torcem, pernas se estendem em uma dança que quer aproveitar e amplificar a vulnerabilidade das relações humanas, não suavizar”.

A Exposição Das Tripas Coração está aberta ao público na Galeria do Lago, no Museu da República, das 15 às 17h, até o dia 19 de maio. A entrada é franca e a classificação é livre. O Museu da República fica na Rua do Catete, 153, no Rio de Janeiro (RJ).

Saiba mais sobre a artista

Nascida no Rio de Janeiro, Katia Wille é formada em artes visuais pela Universidade de Amsterdam, na Holanda, e passou os últimos 10 anos morando e trabalhando entre a Europa, a Ásia e o Brasil.

As questões do feminino, da busca de sua essência e transformações, sempre povoaram as obras da artista, que pensa movimento e cor integrados ao todo. A delicadeza das formas, a ação que se desenvolve tanto em círculos e entrelaces, convida o espectador a mergulhar em águas míticas e se deixar levar pelos encantos do olhar de suas ninfas, pelo poder das deusas e pela força da mulher, realizando várias exposições individuais e coletivas no Rio de Janeiro e em São Paulo.

 

Agendas

Museu Nacional Vive – Arqueologia do Resgate

O quê: Sob curadoria da Comissão de Resgate do Museu Nacional, exposição exibe cerca de 180 itens, dos quais 103 são peças resgatadas das cinzas, inteiras ou danificadas após o incêndio que atingiu a instituição em setembro de 2018. As demais são peças preservadas que estavam fora da área do incêndio ou emprestadas. O conjunto contempla todas as áreas de pesquisa da instituição: Antropologia, Botânica, Entomologia, Geologia e Paleontologia, Invertebrados e Vertebrados.
Quando: De 27/2 a 29/4. Quarta a segunda, das 9h às 21h.
Onde: Centro Cultural Banco do Brasil Rio de Janeiro (Rua Primeiro de Março, 66 – Centro | Rio de Janeiro – RJ)
Informações: (21) 3808-2020 | culturabancodobrasil.com.br

---

Paul Klee – Equilíbrio Instável

O quê: Mostra reúne pela primeira vez na América Latina mais de 100 obras do suíço Paul Klee (1879-1940). Preparada especialmente para o público brasileiro, a exposição conta com 16 pinturas, 39 papéis, 5 gravuras, 5 fantoches e 58 desenhos, além de objetos pessoais do artista.
Quando: De 13/2 a 29/4. Quarta a segunda, das 9h às 21h. Entrada gratuita.
Onde: Centro Cultural Banco do Brasil São Paulo (Rua Álvares Penteado, 112 – Centro | São Paulo-SP)
Informações: (11) 3113-3651 | culturabancodobrasil.com.br

---

Pixinguinha: naquele tempo, hoje e sempre

O quê: Com curadoria de Luiz Fernando Vianna, coordenador da Rádio Batuta, a mostra relembra a trajetória de um dos mais importantes nomes da história da música brasileira, apresentando itens do arquivo de Pixinguinha no IMS, como objetos pessoais, partituras, fotografias, gravações, vídeos, entre outros.
Quando: De 23/4 a 3/11. Terça a domingo e feriados (exceto segundas), das 11h às 20h. Entrada gratuita.
Onde: IMS Rio (Rua Marquês de São Vicente, 476 – Gávea | Rio de Janeiro – RJ)
Informações: www.expopixinguinha.ims.com.br

 

Cursos e oficinas

Estágio em Curadoria - MASP

O quê: Voltado para estudantes nas áreas de Artes Visuais, Curadoria, História da Arte, História, Ciências Sociais e Filosofia. Atividades incluem apoio a pesquisas de elaboração de exposições, elaboração de publicações e montagens de exposições.
Quando: Atividades serão desenvolvidas de segunda a sexta-feira, das 10h às 17h. Interessados devem preencher formulário online (link abaixo) até 17/5.
Onde: Museu de Arte de São Paulo (Av. Paulista, 1578 - Bela Vista | São Paulo - SP)
Informações: http://bit.do/ePWPP

---

Seminário de Bens Culturais da Igreja

O quê: Evento voltado a interessados na preservação, conservação e restauração dos bens culturais da Igreja Católica no Brasil. Programação traz mesas e conferências com especialistas sobre temas diversos relacionados à área.
Quando: Dia 24/8, das 9h às 16h.
Onde: Museu Salesiano (Alameda Dino Bueno, 285/353 - Campos Elísios | São Paulo - SP)
Informações: http://bit.do/ePWVs

---

Educação museal: campo em construção

O quê: Mesa redonda traz como convidada a doutora em Educação Isabel Van Der Lay Lima. Atividade é promovida pela linha de pesquisa “Educação museal: conceitos, história e políticas”, vinculada ao Grupo de Pesquisa “Escritas da história em museus: objetos, narrativas e temporalidades”, do Museu Histórico Nacional/CNPq
Quando: Dia 25/4, das 10h às 13h.
Onde: Museu Histórico Nacional (Praça Marechal Âncora s/n° - Centro | Rio de Janeiro - RJ)
Informações: http://bit.ly/2SfLenM