Boletim eletrônico Nº 743 - Ano XVI - 12 a 19 de julho de 2019

---

Inscrições para a 13ª Primavera de Museus começam dia 15

Selo-Vertical Primavera

Começa no próximo dia 15 de julho (segunda-feira), o período de inscrição de atividades para a 13ª Primavera dos Museus.

A temporada nacional de eventos, coordenada pelo Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), acontece este ano entre os dias 23 a 29 de setembro e é aberta à participação de museus, instituições de memória, espaços e centros culturais brasileiros.

As instituições interessadas devem acessar a página de eventos.museus.gov.br e cadastrar online suas atividades programadas - como exposições, palestras, seminários, shows, exibição de filmes etc. A programação é de inteira responsabilidade dos museus. O Ibram realizará ampla divulgação da agenda de eventos, inclusive dando oportunidade para que os museus compartilhem suas programações nas Redes Sociais do Instituto.

Semanas antes do início do evento, o Ibram lançará o guia digital da programação com as atividades cadastradas nos museus de todo país. Dúvidas e outras informações devem ser enviadas para o endereço eletrônico primavera@museus.gov.br.

 

---

Museu da Inconfidência recebe exposição sobre poema de Olavo Bilac

Inconfidencia noturno

Entre os dias 12 de julho a 25 de agosto, o Museu da Inconfidência/Ibram vai receber a exposição “Fotografia&Poesia Vila Rica – centenário da publicação do poema de Olavo Bilac”. A mostra é realizada pelo grupo Coletivo Olho de Vidro, criado em 2007 pelos fotógrafos Alexandre Martins, Antônio Laia, Eduardo Tropia e Heber Bezerra e pelo poeta Guilherme Mansu.

Comprometido com a cidade de Ouro Preto, o grupo se caracteriza por apresentar anualmente uma exposição coletiva de fotografias e de poesia. O objetivo é estabelecer um espaço de reflexão, criação e experimentação. Cada um dos integrantes tem liberdade de interpretação sobre o tema proposto pelo poeta e discutido pelo grupo.

Quem foi Olavo Bilac

Um dos fundadores da Academia Brasileira de Letras, Olavo Bilac nasceu no Rio de Janeiro, em 16 de dezembro de 1865, e faleceu na mesma cidade no ano de 1918. Dedicou-se desde cedo ao jornalismo e à literatura. Teve intensa participação na política e em campanhas cívicas, das quais a mais famosa foi em favor do serviço militar obrigatório. Sua obra poética enquadra-se no Parnasianismo, que tem como características o vocabulário culto, o gosto pelas descrições, as rimas raras e o apreço pela métrica.

Poema Vila Rica

Poema épico que aborda a Inconfidência Mineira e a colonização de Minas Gerais pelos bandeirantes paulistas, tratando das lutas, do confronto com os índios, da descoberta das riquezas e, por fim, da fundação da Vila Rica de Ouro Preto. Informações sobre a exposição aqui.

Museu da Inconfidência fica na Praça Tiradentes, 139, Centro, em Ouro Preto (MG) e está aberto ao público de terça a domingo, das 10h às 18h. Durante o mês de julho, o Museu ficará aberto ao público até as 21h.

---

Museu da Abolição promove o seminário ‘Africanidades Brasileiras e Educação’

logo_Museu Abolicao

Entre os dias 16 e 18 de julho, a entidade cultural Afoxé Omim Sabá, em parceria com o Museu da Abolição/Ibram e o Núcleo de Estudos Afro-Brasileiros da Universidade Federal de Pernambuco, irá realizar o Projeto de Ações Formativas voltadas para a educação.

O evento, que será realizado no Museu da Abolição, propõe discutir o espaço urbano ressignificado pelos (as) afro-brasileiros (as) com suas experiências, culturas, lutas e resistências.

No dia 16, será realizado o seminário “Africanidades Brasileiras e Educação” a fim de discutir a construção do conhecimento a partir da produção de africanos e de afro-brasileiros. O evento será conduzido pela socióloga e diretora executiva do Projeto de Ações Formativas do Afoxé Omim Sabá, Delma Silva.

Surgimento da entidade Afoxé Omim Sabá

A entidade foi fundada no dia 15 de agosto de 2002 com a intenção de divulgar a cultura e a religiosidade de matriz africana. As atividades da instituição trazem a valorização da ancestralidade e levantam questionamentos sobre o combate ao racismo e a intolerância religiosa, bem como a reflexão sobre representatividade e empoderamento negro. O orixá patrono da entidade cultural é Yemanjá, divindade ligada aos oceanos e a maternidade.

O Museu da Abolição fica na Rua Benfica 1150, bairro Madalena, Recife (PE) e está aberto ao público de segunda a sexta-feira, das 9h às 17h e aos sábados, das 13h às 17h. Fechado aos domingos e na primeira segunda-feira de cada mês.

---

Museu Histórico Nacional inaugura a exposição 'Nas asas da Panair'

Panair

Sob curadoria da historiadora Mariza Soares, a mostra apresenta itens da coleção criada em 2017, como resultado de uma parceria entre a empresa Panair do Brasil e a Família Panair, uma associação que reúne antigos funcionários da companhia. Ao longo de um ano, foram coletados quase 700 peças, entre objetos e material de divulgação impresso.

Quase todos contribuíram com folhetos, medalhas comemorativas, uniformes, adereços, louça, maletas de mão, brindes, fotografias, fitas e CDs com entrevistas, outros tipos de documentos e pequenos luxos – como protetor de caneta tinteiro, guardanapo de linho e talher de prata dos “tempos da Panair”. Alguns objetos foram adquiridos nos leilões de liquidação da empresa.

Desde sua concepção inicial, foi prevista a doação da coleção ao MHN. Durante dois anos, Rodolfo da Rocha Miranda, diretor-presidente da Panair do Brasil, coordenou a coleta da memorabilia, que foi, concomitantemente, organizada por historiadores e museólogos.

Todos os colaboradores tiveram os itens doados, cadastrados e fotografados. A Panair do Brasil financiou a construção da coleção e a exposição como uma homenagem a seus funcionários, familiares e todos os que, ao longo dos últimos cinquenta anos, contribuíram para manter viva a memória da empresa e daqueles que contribuíram com ela.

MHN e a coleção Panair

Esta coleção é a primeira sobre uma empresa que o MHN incorpora. A inovação decorre, principalmente, do fato de ela ser constituída por doação e participação de ex-funcionários da empresa e familiares em colaboração com a equipe do MHN.

“A companhia de aviação Panair é o símbolo de uma época do Brasil quando a viagem de avião representava um ideal de vida moderna. O contato direto com as peças da coleção aproxima todos da história de modo sensível”, fundamenta o diretor do MHN, Paulo Knauss.

A historiadora Mariza Soares explica sua curadoria: “Para esta mostra foram selecionados os itens que atestam a modernidade da empresa e seu alto padrão de funcionamento, então conhecido como ‘padrão Panair’. Mas mais que isso a coleção atesta a determinação da Família Panair de preencher o vazio que o fechamento da empresa deixou em suas vidas”.

“Os doadores, antigos funcionários e seus familiares, o fizeram na certeza de que ao ceder suas relíquias pessoais a uma instituição como o Museu Histórico Nacional abrem mão delas para criar uma coleção coletiva que irá sobreviver a todos e prolongar a memória da empresa e de seus funcionários”, argumenta Mariza Soares.

O conjunto da mostra ilustra o conceito curatorial de modernidade e alta qualidade com cerca de 300 artigos: vestuário da tripulação, louça, faqueiro de prata, brindes, fotos pessoais e documentais, encontradas na Biblioteca Nacional e no Arquivo Nacional, e matérias de jornal, principalmente da época do fechamento da Panair.

Há uma vasta seleção de peças gráficas promocionais de roteiros nacionais e internacionais, folhinhas, menus de bordo, encarte para passagens e outros materiais de folheteria.

No dia 25 de agosto, acontece o lançamento do catálogo da exposição e a exibição de filme que narra a trajetória da Panair do Brasil. A mostra pode ser visitada até 29 de setembro na galeria de exposições temporárias do MHN. Leia mais aqui.

---

Casa da Hera recebe prêmio da rede Cidades Criativas do Rio de Janeiro

Foto Cirom

Na terça-feira (09), o Museu Casa da Hera/Ibram recebeu prêmio como instituição integrante da rede Cidades Criativas do Rio de Janeiro (RJ). De acordo com o diretor do Museu, Cirom Duarte e Alves, a premiação recebida foi em decorrência da participação do Museu nas oficinas promovidas pelo Programa de Integração pela Música (PIM) e pela caravana Cidades Criativas – Planejamento e Marketing Digital para Negócios Culturais e Criativos.

“Ficamos felizes com o recebimento do prêmio, porque além da participação nas oficinas e projetos, o Museu Casa da Hera está sendo reconhecido como empreendedor cultural por suas ações”, afirma o diretor da Hera.

Programa de Integração pela Música

Idealizado em 2000 pelo maestro Cláudio Moreira, o PIM funciona em um casarão do século 19 tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), no centro histórico do município de Vassouras. O programa tem o objetivo de integrar e transformar crianças e jovens por meio da educação musical.

Selecionado pelo Ministério da Cidadania como Ponto de Cultura pertencente ao Programa Cultura Viva, o PIM tem apoio da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) e atende mais de 800 alunos das cidades de Vassouras, Volta Redonda, Barra Mansa e São Gonçalo.

O programa mantém, também, a orquestra sinfônica jovem regional, o grupo de percussão PIM lata, a banda sinfônica, uma orquestra de cordas para iniciantes, um coral e incubadoras de produção cultural e audiovisual, além de oficinas de cultura popular, tradição oral e técnicas de gravação em rádio.

Cidades Criativas RJ

O programa Cidades Criativas RJ, realizado por meio de uma parceria com o Programa de Integração pela Música (PIM), é patrocinado pela Secretaria de Estado da Cultura e Economia Criativa do Rio de Janeiro e pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

O programa propõe constituir redes locais por meio das quais, em conjunto, os participantes realizem ações voltadas para o desenvolvimento cultural e turístico do estado do Rio de Janeiro.

As cidades criativas são capazes de transformar a estrutura socioeconômica, com base na criatividade de seus habitantes e em uma aliança entre suas singularidades culturais e suas vocações econômicas. São espaços urbanos de atração de talentos e investimentos, de combate às desigualdades e violência, de revitalização de áreas degradadas e de transformação das cidades em polos criativos mundiais.

Foto do diretor do MCH, Cirom Duarte e Alves, recebendo o prêmio Cidades Criativas RJ

---

Museu Casa Histórica de Alcântara inaugura mostra 'Tal pai tal filho'

alcantara 2

O Museu Casa Histórica de Alcântara inaugurou a 1ª Mostra de Pintura “Tal pai tal filho”. Trata-se de uma exposição de pintura de técnica óleo sobre tela dos cidadãos alcantarenses André Marinho e André Marinho Filho.

As telas retratam principalmente cenários de Alcântara e estão disponíveis à venda. A noite da abertura contou com o público de familiares, amigos e visitantes que prestigiaram a mostra ao som do músico Saul Gutman.

A mostra “Tal pai tal filho” ficará disponível no Museu Casa Histórica de Alcântara para visitação até o dia 5 de agosto, de terça a sexta-feira das 9h30 às 16h30, e aos sábados e domingos, das 9h30 às 14h30.

Criado em novembro de 2004, o Museu Casa Histórica de Alcântara retrata os tempos do Brasil Imperial por meio da sua arquitetura colonial e de seu acervo, expondo a opulência dos hábitos e costumes da aristocracia rural da cidade maranhense durante o século XIX. O Museu Casa Histórica de Alcântara fica na Praça Gomes de Castro (Praça da Matriz) nº 7, no Centro de Alcântara (MA).

---

Representantes do Ibram participam da Semana Ibermuseus

ibermuseus

De 2 a 5 de julho, 40 profissionais de 12 países participaram da Semana Ibermuseus para definir a proposta de projetos que o Programa Ibermuseus realizará nos próximos anos, seguindo os objetivos definidos: contribuir para a proteção do patrimônio museológico da região; fortalecer a função social dos museus; aperfeiçoar a gestão das instituições museais; e fortalecer o Programa Ibermuseus.

O encontro reúne anualmente as quatro mesas técnicas do Ibermuseus – Formação e Capacitação, Proteção do Patrimônio, Sustentabilidade e Observatório Iberoamericano de Museus – e é o fórum para a definição do conjunto de ações que serão promovidas nos próximos dois anos pelo programa de cooperação intergovernamental. Nesta edição, as discussões foram baseadas no Plano Estratégico 2020-2023.

A Diretora do Departamento de Difusão, Fomento e Economia dos Museus, Eneida Braga Rocha de Lemos, o Coordenador Geral de Sistemas de Informação Museal, Alexandre Cesar Avelino Feitosa, juntamente com as museólogas Tais Valente dos Santos, da Coordenação de Preservação e Segurança, e Luciana Palmeira da Silva, da Coordenação de Acervo Museológico representaram o Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) nas discussões, visando identificar interesses comuns para a definição de metodologias de trabalho e o estabelecimento de estratégias que permitam, através da cooperação, lidar com os desafios do setor. Saiba mais sobre o Programa Ibermuseus.

 

Agenda

Workshop de felicidade feminina

O quê:  A Casa de Cláudio de Souza, seccional do Museu Imperial, receberá o “Workshop de Felicidade Feminina”. O evento propõe um debate sobre os aspectos contemporâneos que contribuem para a infelicidade feminina e apresenta propostas baseadas nos estudos científicos da psicologia positiva, buscando resultados significativos e maior bem-estar, que visam a uma vida plena por meio de escolhas conscientes. Gratuito e aberto ao público, o evento vai ser ministrado pela master trainer em neolinguística, Josédima Almeida.
Quando: 16 de julho às 19h
Onde: Casa de Cláudio de Souza (Praça da Liberdade, 247, Centro | Petrópolis (RJ)
Informações: mimp.casaclaudiodesouza@museus.gov.br  | (24) 2231-5156

---

Exposição Olhar Alagoas

O quê: A Pinacoteca da Universidade Federal de Alagoas (Ufal) e o Serviço Social do Comércio (Sesc) vão realizar a exposição “20 Anos da Exposição Olhar Alagoas: Arte Contemporânea na Pinacoteca da Ufal”. A mostra, que reúne obras de 14 artistas, vai permitir a difusão do acervo e a aproximação do público com obras que representam o patrimônio artístico e cultural de Alagoas. Na ocasião, serão demonstradas técnicas como a escultura, a pintura, o desenho e a colagem, resultando em obras de média e grande dimensões, todas produzidas em 1999 por artistas experientes ou em início de carreira, que contribuíram para a dinâmica da produção artística em Alagoas no fim do milênio.
Quando:12 de julho a 27 de setembro
Onde: Galeria do Sesc (Rua Manoel Francisco Cazuza, s/n – Santa Edwiges | Arapiraca – AL.
Informações: https://www.facebook.com/pg/pinacotecaufal/events/

 

 

Cursos e oficinas

Caravana BNDES+ Patrimônio, no Rio de Janeiro

O quê: Workshop gratuito de inspiração e cocriação de projetos para o Matchfunding BNDES+ Patrimônio, o edital que vai triplicar a arrecadação de projetos de crowdfunding que deixem legado para nossos Patrimônios Culturais. Quer conhecer esta iniciativa e entender como o crowdfunding e o Matchfunding podem ser potentes para seu projeto? Então chega+ e ainda saia com várias ideias para inscrever no edital! As inscrições em: https://benfei.to/CaravanaRio
Quando: 18 de julho, de 9h30 às 17h
Onde: Museu de Arte do Rio – MAR (Praça Mauá, 5, Centro | Rio de Janeiro – RJ)
Informações: https://benfeitoria.com/canal/bndesmais

---

'Capoeira Angola' no Museu das Bandeiras

O quê: O Museu das Bandeiras cede espaço para a realização da oficina “Capoeira Angola”. Os participantes terão contato com a movimentação da capoeira angola, com os instrumentos e com a musicalidade da arte. O professor da oficina é o capoeirista integrante do grupo Meninos de Angola, Rafael Leite de Sá.
Quando: quartas-feiras, das 17h30 às 19h
Onde: Museu das Bandeiras  - (Praça Brasil Ramos Caiado, Setor Central | Goiás-GO)
Informações: https://www.facebook.com/museudasbandeiras/photos/rpp.376090112525396/1591089204358808/?type=3&theater