Boletim eletrônico Nº 761 - Ano XVI - 16 a 31 de dezembro de 2019

---

Ibram lança Programa Saber Museu, voltado para capacitação à distância

Saber Museu

No dia 18 de dezembro, Dia do Museólogo, o Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) lançou o Programa Saber Museu, iniciativa voltada para a capacitação de profissionais que atuam na área museológica e áreas afins, visando a difusão do conhecimento e o aprimoramento da gestão do campo museal.

A partir da parceria com a Escola Virtual de Governo, da Escola Nacional de Administração Pública (EVG/ENAP), o Saber Museu disponibiliza em sua plataforma um vasto material instrucional em diferentes formatos tais como vídeos (aulas, animações, tutoriais), publicações, podcasts, apresentações, entre outros, que promoverão a capacitação à distância em temas que têm como base os programas do Plano Museológico e as principais políticas públicas e programas do setor museal.

Entre os cursos EAD que serão oferecidos pelo Programa Saber Museu, estão abertos os de “Plano Museológico” e “Curso Para fazer uma exposição”. Já a partir de janeiro de 2020, está programado o curso de “Acessibilidade em museus”; o de “Conservação”, em fevereiro; em março, o de “Documentação em Acervos Museológicos”; e o de “Inventário Participativo”, no mês de abril.

A cerimônia de lançamento foi realizada no auditório do Ibram, em Brasília, e conduzida pela diretora do Departamento de Processos Museais (DPMUS/Ibram), Carolina Vilas Boas, e contou com representantes de várias instituições tais como a Coordenação de Patrimônio do Ministério das Relações Exteriores, o Tribunal de Justiça do DF, Universidade de Brasília (UnB), Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa (SECEC-DF), do museu da Agência Brasileira de Inteligência (ABIN), Museu da Educação do Distrito Federal, (Centro Cultural Banco do Brasil) CCBB-DF, Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) e a Rede de Educadores em Museus e Instituições Culturais do DF (Remic-DF), Serviço Social do Comércio (Sesc-DF).

Após a apresentação da plataforma, pela coordenadora de Museologia Social e Educação (Comuse/DPMUS/Ibram), Juliana Vilar Ramalho Ramos – área responsável pela formatação do Saber Museu –, foi realizada uma mesa temática (foto) que contou com a participação de Luciana Palmeira, Coordenadora de Acervos Museais (Camus/DPMUS/Ibram); de Carlos Eduardo dos Santos, Coordenador de Inovação em Educação à Distância (EVG/Enap); do diretor do Museu do Senado Federal, Alan Silva; e da Coordenadora do Curso de Museologia da UnB, Monique Magaldi. Mediados por Monica Padilha – docente do Instituto Federal de Brasília e ex-chefe da Divisão de Educação da Comuse/DPMUS/Ibram, os integrantes da mesa falaram das suas expectativas sobre as contribuições do Saber Museu para a qualificação dos profissionais que atuam no setor museológico brasileiro.

Para Carolina Vilas Boas, o Programa Saber Museu vem atender a grande demanda que o Ibram tem, desde a criação do Instituto, por ampliar a sua capacidade de capacitação na área. “A criação dessa plataforma de conhecimento à distância, é entender que nós vivemos em país continental e que as nossas políticas públicas têm que dar conta dessa dimensão. O formato de educação à distância, se bem utilizado e humanizado, visa corresponder às expectativas desse campo tão carente de formação e de continuidade em seu desenvolvimento”, concluiu Carolina.

Saiba mais sobre o Programa Saber Museu em sabermuseu.museus.gov.br

---

Decreto institui Grupo Interministerial sobre Museus Federais

Ibram_logo_baixa

Foi publicado no Diário Oficial da União (DOU) de 13 de dezembro, o Decreto Nº 10.175 que institui o Grupo de Trabalho Interministerial sobre Museus Federais. O Grupo de Trabalho (GT) tem como objetivo a elaboração de estudos e proposição de medidas para a gestão dos museus, visando o aprimoramento da organização, gestão e preservação dos museus federais.

O Decreto é fruto de um esforço conjunto do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) com a Casa Civil da Presidência da República, e visa fortalecer o papel do Ibram, ampliando o alcance das suas atribuições legais e a sua atuação na resolução dos problemas dos museus federais. Ao Ibram caberá o assessoramento técnico quanto à implementação de questões específicas previstas no Estatuto dos Museus, e à Casa Civil caberá a articulação junto aos Ministérios que possuem museus em suas estruturas administrativas.

O Grupo Interministerial será composto por representantes do Ibram, da Casa Civil, do Ministério do Turismo, do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicações, do Ministério da Defesa, do Ministério da Educação, do Ministério do Meio Ambiente e da Advocacia-Geral da União.

O formato do Grupo de Trabalho (GT) prevê a atuação de dois grupos técnicos – um específico para a elaboração de um plano de ação voltado para os museus das universidades públicas federais, e outro para a elaboração de propostas para a implementação do Sistema de Inventário Nacional de Bens Musealizados, Plano de Gestão de Riscos, a elaboração e atualização de Planos Museológicos, a atualização da base de dados do Cadastro Nacional de Bens Musealizados Desaparecidos, e o gerenciamento da aplicação e da execução dos recursos orçamentários e financeiros.

A criação do GT teve como ponto de partida o Acórdão nº 1243/2019 do Tribunal de Contas da União que recomendou ao Ibram, após o incêndio do Museu Nacional (UFRJ) ocorrido em setembro de 2018, a coordenação de um grupo de trabalho que identificasse os museus federais sujeitos a riscos mais acentuados.

Em julho deste ano, o Ibram enviou um ofício para todos os Ministérios solicitando a confirmação de quais museus fazem parte das suas respectivas estruturas, juntamente com a indicação de pontos focais em cada um desses museus.

Atualmente, existem 458 museus federais mapeados no Cadastro Nacional de Museus, dos quais 30 são ligados administrativamente ao Ibram. Tal contato, teve como objetivo estreitar o relacionamento com os gestores desses museus e facilitar o andamento das ações que serão propostas pelo Grupo de Trabalho Interministerial sobre Museus Federais.

---

Ibram divulga a série história da Pesquisa da Semana Nacional de Museus

18-semana-de-museus--1024x230

Ibram divulgou, na última semana, a série histórica 2012-2016 da Pesquisa da Semana Nacional de Museus (SNM). O trabalho, iniciativa realizada pelo Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) desde 2011, mede e avalia os resultados da semana, como a capacidade de mobilização do setor museal e o direcionamento dado pelo Ibram à execução dessa ação de promoção. A pesquisa, também, disponibiliza informações que podem ajudar municípios, estados e União a ajustarem as suas ações em prol do desenvolvimento e consolidação do setor museal. Acesse aqui a Série Histórica – Pesquisa da SNM.

Semana Nacional de Museus

Estão abertas as inscrições para a 18ª Semana de Museus. Coordenada pelo Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), a temporada de eventos une, durante uma semana, instituições museológicas, em torno de atividades para todos os públicos.

Em comemoração ao Dia Internacional dos Museus (18 de maio), criado em 1977 pelo Conselho Internacional de Museus – ICOM, a Semana estende essa celebração, pois tem como objetivo aumentar o potencial de visitação das instituições museológicas e culturais de todo país, difundindo as diversas manifestações e referências culturais, promovendo o acesso à produção simbólica e à diversidade cultural dos municípios, criando experiências significativas aos visitantes.

O tema definido pelo ICOM para a edição de 2020 para o Dia Internacional dos Museus, que será o mote norteador à Semana, é: “Museus para a Igualdade: diversidade e inclusão”.

---

Ibram realiza capacitação para museus no Espírito Santo

Logo Registro de Museus JPEG(horizontal)

O Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) promoveu no dia 16 de dezembro, juntamente com a Secretaria de Estado da Cultura do Espírito Santo ((Secult-ES), a oficina de capacitação “A plataforma Museusbr e os instrumentos da Política Nacional de Museus”.

O objetivo da oficina foi apresentar aos museus e gestores culturais capixabas o trabalho conjunto do Ibram e da Secult-ES para a efetivação do Registro de Museus. O evento realizado na Escola de Serviço Público do Espírito Santo (Esesp), em Vitória, reuniu representantes da UFES (universidade Federal do Espírito Santo), Secretaria Municipal de João Neiva, Museu do Colono, Museu Capixaba do Negro, o Museu Ferroviário, Museu Comunitário de Demétrio Ribeiro, prefeitura de Vitória, prefeitura de Vila Velha, Secretária Estadual de Educação e Galeria Homero Massena.

Pela manhã, foi realizada uma apresentação da plataforma Museusbr e, no período da tarde, uma oficina em que os presentes puderam experimentar as funcionalidades da ferramenta, atualizar suas informações de suas respectivas instituições e aprender como solicitar o Registro de Museus.

O registro está previsto pela Resolução Normativa nº 01, do Ibram, de 14 de dezembro de 2016 e é obrigatório para os museus públicos e privados. Em maio de 2018, o Ibram e a Secult-ES firmaram Termo de Reciprocidade para operação do Registro de Museus de forma unificada, evitando retrabalho e gerando economicidade tanto por parte dos museus quanto dos entes parceiros. Além do Espírito Santo, o Estado de São Paulo também firmou parceria com o Ibram alinhando o Cadastro Estadual de Museus de São Paulo (CEM-SP) com o Registro de Museus. Estão em processo de negociação os acordos com Minas Gerais e Rio de Janeiro.

A plataforma Museusbr é base tecnológica para o Cadastro Nacional de Museus (CNM), principal fonte de informações e monitoramento do campo museológico brasileiro e, desde dezembro de 2016, abriga informações relativas ao Registro de Museus e, mais recentemente, também incorporou o preenchimento do Formulário de Visitação Anual (FVA).

Todos são instrumentos da Política Nacional de Museus (PNM) e têm como base legal o Estatuto de Museus (Lei 11.904/2009) e seu Decreto regulamentador (Decreto 8.124/2013). Saiba mais

---

Museu Imperial realiza parceria com o LNCC

Museu imperial - fachada diurna

Na sexta-feira, dia 20 de dezembro, a Biblioteca e o Laboratório de Conservação e Restauração do Museu Imperial/Ibram realizaram uma visita técnica ao  Laboratório Nacional de Computação Científica (LNCC) com o objetivo de efetuar um treinamento de higienização do acervo bibliográfico da instituição.

A parceria entre as duas instituições teve início em maio de 2019, quando a Biblioteca do Museu Imperial foi procurada pela biblioteca do LNCC para que a auxiliasse no trabalho de higienização de seu acervo bibliográfico. Naquele momento, foi realizada uma primeira visita técnica da Biblioteca e do Laboratório de Conservação e Restauração do Museu Imperial, onde foram sugeridas algumas ações de preservação.

No segundo momento (ocorrido no último dia 20), aconteceu um treinamento, em que foram apresentados os equipamentos pessoais de segurança, os materiais básicos para a realização da atividade, as principais técnicas de higienização de livros e alguns procedimentos básicos de conservação preventiva. Assim, a atuação dos técnicos do LNCC será mais segura e possibilitará não só a manutenção do estado de conservação das coleções bibliográficas, mas também o aumento de sua expectativa de vida.

Beatriz Penna, responsável pelo Laboratório de Conservação e Restauração do Museu Imperial, ressalta que o acervo do LNCC é rico e importante para o estudo e a pesquisa em âmbito nacional; portanto, mantê-lo íntegro, num estado que permita a consulta e a divulgação do conhecimento, é de suma importância para a sociedade brasileira.

---

Museu Victor Meirelles promove 2ª Maratona de Oficinas de Férias

maratona museus

O Museu Victor Meirelles/Ibram oferece, para crianças e adolescentes, a oportunidade de despertar o artista interior durante o intervalo das aulas escolares. De 17 de dezembro a 23 de janeiro, acontece a 2ª Maratona de Oficinas de Férias, com atividades gratuitas e material incluso, mediante inscrição prévia pelo e-mail mvm.educativo@museus.gov.br. As opções são Fanzine, Desenho como Expressão, Colagem, Stop Motion e Colagem e Fotomontagem.

A oficina de Fanzine acontece nos dias 17 e 18 de dezembro, das 14 às 17h, e é voltada para jovens entre os 14 e 15 anos de idade. Tem como finalidade a confecção do próprio zine – uma publicação não profissional de baixo custo. Já na oficina de Desenho como Expressão, os inscritos criarão seres, narrativas e personagens a partir da observação de objetos e elementos cotidianos, por meio de uma abordagem lúdica do processo de criação artística. A turma para crianças dos sete aos oito anos será no dia 19 de dezembro, das 14 às 17h, e, no dia 14 de janeiro, no mesmo horário, será a vez dos adolescentes dos 12 aos 13 anos.

Outra atividade agendada é a oficina de Colagem e Fotomontagem, para a faixa etária dos 14 aos 15 anos, das 14 às 17h do dia 16 de janeiro. A proposta é originar uma fotografia criativa, divertida e única por meio da construção e modificação de imagens variadas superpostas ou justapostas. Partindo do mesmo princípio e voltada para crianças dos 10 aos 11 anos, a oficina de Colagem acontecerá no dia 21 de janeiro, das 14 às 17h.

Por fim, a oficina de Stop Motion, promovida para jovens dos 13 aos 14 anos de idade nos dias 22 e 23 de janeiro, das 9 às 12h, trabalhará inicialmente a criação de um roteiro, que em seguida será colocado em prática, fazendo uso de técnicas como iluminação e posição de câmera. Os encontros têm vagas limitadas e acontecem na sede do Museu Victor Meirelles.

---

MNBA inaugura exposição sobre o arquiteto Sérgio Bernardes

MNBA_expo sergio bernardes 100 anos

A exposição “Sérgio Bernardes – 100 anos”, em homenagem ao centenário de nascimento do arquiteto e urbanista que dá nome à mostra, foi aberta ao público no dia 17 de dezembro.

Instalada no Museu Nacional de Belas Artes (MNBA/Ibram), a iniciativa é resultado de parceria entre o museu, a Associação de Amigos do MNBA e o Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Rio de Janeiro (CAU/RJ). A exposição é parte do calendário oficial do Rio Capital Mundial da Arquitetura e um dos eventos preparatórios do 27° Congresso Mundial de Arquitetos (UIA2020RIO), a ser realizado na cidade do Rio de Janeiro em julho do próximo ano.

Arquiteto, urbanista, livre-pensador e “inventor social” como ele gostava de se apresentar, Sergio Bernardes concebia a atividade de arquiteto em um campo ampliado “capaz de conectar o menor objeto de design à escala planetária”. Dedicou-se, ao longo de uma trajetória de quase 70 anos de vida profissional, a estudar o Brasil e mais particularmente o Rio de Janeiro resultando em muitas propostas arquitetônicas e urbanísticas. Apesar de sua ampla e diversa produção, esta se mantém pouco conhecida e muitas vezes não reconhecida, apesar de suas obras comporem a paisagem carioca.

“Durante décadas conviveram no mesmo endereço na Avenida Rio Branco, 199, o Museu Nacional de Belas Artes e a Escola Nacional de Belas Artes, com as suas diversas graduações, entre elas o curso de Arquitetura. Oscar Niemeyer, Lucio Costa, Sergio Bernardes, entre outros expoentes da arquitetura modernista brasileira estudaram aqui, tornando o prédio do MNBA revestido de simbolismos. ” Afirma Monica Xexéo, diretora do Museu Nacional de Belas Artes.

Com curadoria de Adriana Caúla (EAU/UFF) e Kykah Bernardes (Plano Memória/Bernardes Arquitetura), projeto expográfico de Thiago Bernardes e produção de Claudia Pinheiro da DOIS UM Produções, a exposição contará com pranchas impressas dos projetos; peças de mobiliário de sua autoria; projeção de filmes, maquetes, curiosidades e documentos inéditos de Bernardes, salvaguardados no Núcleo de Pesquisa e Documentação da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da UFRJ.