Boletim eletrônico Nº 763 - Ano XVII - 24 a 31 de janeiro de 2020

---

11 anos de criação do Ibram

Ibram_logo_baixa

Ao celebrar no último 20 de janeiro os 11 anos de sua criação, o Instituto Brasileiro de Museus segue firme na sua missão de promover a valorização dos museus e do campo museal a fim de garantir o direito às memórias, o respeito à diversidade e a universalidade de acesso aos bens musealizados.

À frente da administração de 30 museus federais, a autarquia é responsável pela condução da Política Nacional de Museus (PNM) e pela melhoria dos serviços do setor como um todo.

Uma ação importante na busca pela melhoria dos nossos museus, foi a aprovação dos projetos de cinco museus do Ibram – o Museu Casa Histórica de Alcântara (MA), o Museu da Abolição (PE), o Museu Nacional de Belas Artes, o Museu Histórico Nacional e o Museu Villa-Lobos (estes três no RJ) –, para o recebimento de recursos da ordem de R$ 55 milhões, oriundos do Fundo de Defesa dos Direitos Difusos, que serão investidos até o final de 2021, em obras de restauração, modernização, conservação e requalificação dessas instituições.

Em 2020, a publicação do Decreto n° 10.175 que instituiu o Grupo de Trabalho Interministerial sobre Museus Federais, possibilitará uma maior atuação do Ibram na resolução dos problemas dos museus federais, visando o aprimoramento da organização, gestão e preservação dessas unidades museológicas.

No sentido da democratização do acesso ao conhecimento, o recente lançamento do Programa Saber Museu, amplia a capacidade do Ibram para a capacitação de profissionais que atuam na área museológica e dá capilaridade, por meio de uma plataforma de educação a distância, à difusão do conhecimento e o aprimoramento da gestão do campo museal.

Além disso, a disponibilização online dos acervos de 11 museus Ibram, somando mais de 10 mil itens, possibilita a visitantes e pesquisadores o acesso, por meio da Internet, a esse valioso patrimônio cultural brasileiro.

Reafirmando o compromisso de valorizar a formulação participativa das políticas voltadas para o setor museal, o Ibram abriu uma consulta pública que visa colher junto aos profissionais do campo museal e à sociedade em geral contribuições para a construção da Resolução Normativa que disciplina a ação de fiscalização a ser desenvolvida pelo Instituto. O documento definirá a forma como o Ibram irá exercer essa atribuição prevista em lei, priorizando o viés educativo e preventivo da fiscalização.

Assim, todo o corpo técnico do Instituto Brasileiro de Museus vem se dedicando e trabalhando para ser referência na gestão de políticas públicas e na geração e difusão de conhecimento para o campo museal.

---

Ibram lança novo site institucional

site novo

Em comemoração aos 11 anos de sua criação, o Instituto Brasileiro de Museus  lançou está semana o seu novo site institucional.

Para adequar-se às plataformas mobile, o site agora é responsivo – isto é, adapta o tamanho das páginas ao tamanho das telas em que estão sendo exibidas, como celulares e tablets.

Em termos práticos, agora o site do Instituto se ajusta a qualquer resolução de forma harmônica, passando a mesma experiência de leitura ao usuário, independentemente do dispositivo pelo qual está sendo acessado. Veja em https://www.museus.gov.br/

---

Programa Saber Museu abre inscrições para o curso 'Acessibilidade em Museus'

Saber_Museu_Curso_Acessibilidade

O Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) lançou no sábado, 18 de janeiro, o curso Acessibilidade em Museus. Na modalidade de Educação a Distância (EaD), este é o terceiro curso ofertado pelo Programa Saber Museu, voltado para a capacitação e difusão de conhecimento para o campo museal.

Com carga horária de 20 horas, o curso é gratuito e foi elaborado com o objetivo de fornecer informações básicas sobre como propor, acompanhar e avaliar adequações de acessibilidade universal aos espaços e aos conteúdos desenvolvidos pelas instituições museológicas.

O curso é dividido em sete módulos. Cada um deles é composto por conteúdo técnico, teórico e por exemplos de adequações de acessibilidade aplicadas em espaços museais. Para avaliar o nível de conhecimento adquirido pelo aluno, o curso conta ainda com um pequeno questionário ao fim de cinco módulos.

Para se inscrever acesse a plataforma da plataforma da Escola Virtual do Governo (EVG). Tanto o Acessibilidade em Museus, quanto os cursos Para fazer uma exposição e Para fazer uma exposição estão com inscrições abertas e, uma vez disponibilizados, os cursos ficarão permanentemente abertos a inscrições.

Os próximos cursos do Saber Museu já têm data marcada para a abertura:

– Conservação – 18 de fevereiro 2020
– Documentação – 18 de março 2020
– Inventário Participativo – 18 de abril 2020

---

MHN homenageia a empresa de cosmético Granado em exposição

Granado

De 15 de janeiro a 3 de maio de 2020, a exposição temporária ‘A história da botica mais tradicional do Brasil” dará ao público a chance de conhecer o acervo inédito da marca Granado, com mais de 300 itens.

Na exposição, se entrelaçam tanto o desenvolvimento da cidade do Rio, quanto o crescimento da farmácia e a sua comunicação com o público. O passeio começa pela origem da marca com seus rótulos, embalagens e impressos de diferentes épocas.

Em seguida, o visitante faz uma viagem no tempo por meio de produtos icônicos, registros de clientes ilustres que frequentavam a botica, condecorações nacionais e internacionais recebidas.

Ao fim, tem a chance de conhecer a produção e desenvolvimento dos produtos e visitar duas salas interativas sobre o universo da perfumaria.

Fonte de inspiração
Para as historiadas Ana Maria Pereira de Almeida e Jacqueline de Araújo, responsáveis pela pesquisa e preservação do acervo das farmácias Granado, as peças, que formam um “conjunto dinâmico”, servem como fonte de pesquisa e inspiração para o desenvolvimento de novos produtos e comunicação da marca.

“A Granado participou de várias fases da história do país. É muito bom poder comemorar esse momento dividindo a riqueza do nosso acervo com o público”, diz Sissi Freeman, diretora de Marketing da empresa. “Os produtos de farmácia e perfumaria são parte da vida cotidiana e promovem uma combinação especial entre sentidos e lembranças, que fazem da história um universo afetivo”, aponta Paulo Knauss, diretor do MHN.

Com a exposição, reforça Knauss, o MHN renova seu “compromisso com a história e a memória da farmácia no Brasil”, estabelecido ao menos desde a década de 1980, quando foram reunidos em seu acervo os bens móveis da centenária farmácia homeopática Teixeira Novaes, inaugurando um espaço expositivo que se tornou destaque para os visitantes do museu.

Como tudo começou
Em 1870, o português José Coxito Granado funda a botica Granado no Rio de Janeiro (RJ), então capital do império.

Em seus primórdios, a ‘pharmácia’ manipulava produtos com extratos vegetais de plantas, ervas e flores brasileiras, cultivadas no sítio do seu fundador, em Teresópolis (RJ). Coxito ainda importava produtos da Europa e adaptava suas fórmulas para os padrões locais.

A qualidade e eficácia dos produtos da Granado logo conquistaram a corte de dom Pedro II e, em 1880, foi conferido à empresa o título de Farmácia Oficial da Família Imperial Brasileira.

Já no século XX, a empresa seguiu conquistando espaço: inaugurou novas lojas na cidade do Rio e adquiriu uma fábrica em Belém (PA), onde passou a produzir os sabonetes em barra.

A exposição “A história da botica mais tradicional do Brasil” pode ser visitada de terça a sexta, das 10h às 17h30. Aos fins de semana e feriados, das 13h às 17h. A entrada custa R$ 10 reais (inteira) e R$ 5 reais (meia). Aos domingos a entrada é gratuita.

---

MNBA inaugura mostra do artista Júlio Paraty

O paradisiaco mundo de julio paraty

Com uma representativa seleção de trabalhos entre as mais de 3 mil obras produzidas pelo artista em cinquenta anos de carreira, o Museu Nacional de Belas Artes/Ibram inaugurou ontem, 21, a exposição “O mundo paradisíaco de Júlio Paraty”. A mostra está disponível até 21 de março.

Na exuberância de suas cores e rigor de sua composição, a obra de Júlio desde sempre teve como inspiração e temas o patrimônio cultural da cidade de Paraty: suas tradições, as festas religiosas, os modos de viver, as brincadeiras, a pesca e os barcos, os personagens, santos e bandeiras da localidade.

Para o curador da mostra, o cineasta Luis Carlos Bigode, “esta retrospectiva nos permitirá acompanhar a evolução de seu percurso, dos primeiros trabalhos onde a presença de blocos compactos forma a narrativa da tela, ao povoamento riquíssimo de seus espaços por uma multidão de personagens coadjuvantes, ações paralelas ao tema principal, pequenas telas dentro daquilo que retrata, numa inquietação que habita o mundo e o atelier dos grandes artistas”.

Dono de uma robusta carreira artística e sendo um dos mais importantes artistas da histórica e colonial cidade de Paraty, Júlio Paraty realizou cerca de trinta exposições individuais, a primeira em 1971, em São Paulo, no Antiquário Chafariz. Na capital paulista, ele expôs também em 1984, no Centro Cultural São Paulo, e no Rio de Janeiro, na Funarte, em 1979 e 1981. Participou também de exposições internacionais coletivas, em 1980 – Exposições Coletivas de Naifes Internacionais – na Galeria do Bonfim de Amsterdam e na Galeria do Bonfim de Bonn, na Alemanha.

Conjugada à exposição, haverá, também, a exibição permanente do filme que faz parte da série “Atelier do Artista”, com fotografia de Alisson Prodlik e direção de Luiz Carlos Lacerda – que é também o curador da exposição. A mostra “O mundo paradisíaco de Júlio Paraty” conta com o apoio da Secretaria de Cultura de Paraty.

 

Agendas

A outra África - Trabalho e Religiosidade

O quê: O governo do Estado de São Paulo, por meio da Secretaria de Cultura e Economia Criativa e do Museu de Arte Sacra de São Paulo promove a exposição “A outra África – Trabalho e Religiosidade”. A mostra apresenta 303 obras entre terracotas, urnas funerárias, máscaras, estatuetas, armas, jóias, os quais possibilitam um rápido olhar sobre a cultura material de uma outra África, que, ao mesmo tempo que é uma África que se remete ao mundo tradicional antigo, trata-se de uma África que readaptou do seu próprio modo a sua prática artística no mundo contemporâneo.
Quando: 25 de janeiro a 23 de março
Onde: Museu de Arte Sacra de São Paulo (Av. Tiradentes, 676 | Luz, São Paulo - SP)
Informações: (11) 3326.3336

---

Edital de Ocupação do MAM – 2020

O quê: Estão abertas as inscrições para a ocupação do Museu de Arte Moderna de Resende (MAM). A Prefeitura de Resende, por meio da Fundação Casa da Cultura Macedo Miranda, publicou o edital sobre o processo seletivo de exposições temporárias para o exercício deste ano. Os candidatos devem apresentar as propostas seguindo a estrutura disponível no anexo único do edital.
Quando: inscrições até 28 de fevereiro
Onde:  Fundação Casa da Cultura Macedo Miranda (Rua Dr. Cunha Ferreira nº 104 - Centro | Resende – RJ)
Informações: www.resende.rj.gov.br/fundacao-casa-da-cultura-macedo-miranda-2020

---

318 anos do Serro

O quê:  O Museu Regional Casa dos Ottoni promove a exposição de arte “318 anos do Serro”. A mostra, que tem Rafael Múcio como curador, traz o lançamento do álbum do tricentenário da cidade 1714 – 2014.
Quando: 29 de janeiro de 2020 às 19h
Onde: Museu Regional Casa dos Ottoni (Praça Cristiano Ottoni, 72 - Centro | Serro – MG)
Informações: (38) 3541.1440

---

Ateliê de férias

O quê: O Museu do Diamante realiza “Ateliê de férias” e realização de oficinas e jogos para crianças acompanhadas pelos pais ou responsáveis.
Quando: 21 a 31 de janeiro, das 14h às 17h
Onde: Museu do Diamante (Rua Direita, 14 – Centro | Diamantina – MG)
Informações: (38) 3531.1382

 

Cursos e Oficinas

Programa Educativo-Cultural

O quê: A Superintendência de Museus (SMU) da Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa RJ (SECEC/RJ) por intermédio do Sistema Estadual de Museus (SIM-RJ) irá promover a oficina técnica “Programa Educativo-Cultural”. Voltada para os profissionais de educação e agentes de cultura, a  oficina visa à apresentação do campo da educação museal em seus aspectos histórico, teórico, prático e em sua relação com a acessibilidade.
Quando: 29 de janeiro, das 9h às 19h
Onde: Centro de Cultura Raul de Leoni (Praça Visconde de Mauá, 305 – Centro | Petrópolis – RJ)
Informações: http://bit.ly/3aEXJ72