Boletim eletrônico Nº 764 - Ano XVII - 3 a 7 de fevereiro de 2020

---

Formulário de Visitação Anual está disponível para preenchimento

Banner FVA

O prazo para preenchimento do Formulário de Visitação Anual (FVA), instrumento importante para a coleta de informações sobre a visitação nos museus brasileiros, abre hoje (3) e poderá ser respondido até 30 de abril. Acesse o passo a passo completo para preencher o FVA referente à visitação de 2019.

Estabelecido pelo Estatuto de Museus (Lei n° 11.904/2009, art 36) e pelo Decreto n° 8.124/2013 (artigo 4°, inciso VIII), o FVA é um instrumento de coleta de dados dos museus. As informações contidas no formulário são consideradas estratégicas para o desenvolvimento do setor museológico, para as ações e metas estabelecidas em políticas públicas, como o Plano Nacional de Cultura e o Plano Nacional Setorial de Museus. Além de aferir o fluxo de visitação, a contagem de público pode indicar a necessidade de adequação dos serviços oferecidos e a ampliação da ação educativa nos museus. Confira os resultados do FVA 2018 aqui.

Aumento do número de visitantes nos museus

Em 2018, os museus brasileiros receberam um total de 38.463.602 visitantes. O número corresponde ao total do público contabilizado entre os 1.279 museus que informaram realizar a contagem do público, dentre as 1.405 respostas válidas. Esse foi o maior número já contabilizado pelo Formulário de Visitação Anual.

Em 2017, um público de 32.239.871 visitantes compareceu aos 1.001 museus que informaram realizar a contagem de seu público. Em 2016, o FVA contabilizou um total de 28.594.539 visitas, distribuídas em 919 museus. Já em 2015, foram 25.528.788 visitantes, em 716 museus; e, em 2014, foram 24.638.673 visitantes, em 827 museus.

Folders explicativos sobre a contagem de público, resultados do FVA e resolução normativa estão disponíveis aqui.

---

Consulta Pública sobre a ação de Fiscalização do Instituto encerra dia 20 de fevereiro

Consulta Publica

A Consulta Pública sobre a minuta da Resolução Normativa que disciplina a ação de Fiscalização a ser desenvolvida pelo Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) se encerrará no dia 20 de fevereiro. A consulta visa colher junto aos profissionais do campo museal e à sociedade em geral contribuições para a construção do documento que será publicado nos próximos meses.

O documento estabelecerá a atuação de servidores como fiscais; a elaboração de planos anuais de fiscalização; a interação e o intercâmbio com outras instâncias (municipais, estaduais e distrital). Para além do caráter coercitivo e punitivo das ações de fiscalização, a minuta da Resolução Normativa prioriza o viés educativo e preventivo da fiscalização.

Entre as atribuições legais do Ibram, a atividade de fiscalização tem caráter obrigatório, e está  prevista no art. 66 da Lei nº 11.904, de 14 de janeiro de 2009, no art. 4° da Lei n° 11.906, de 20 de janeiro de 2009 e nos arts. 44 a 58 do Decreto nº 8.124, de 17 de outubro de 2013.

Leia a Minuta da Resolução Normativa que disciplina a ação de Fiscalização do Ibram  e auxilie na construção desse documento ao enviar o formulário disponível no site do Ibram com as suas sugestões para o e-mail consultapublica@museus.gov.br.

---

Inscrições para a 18ª Semana de Museus estão abertas até o dia 8 de março

18-semana-de-museus--1024x230

Até o dia 8 de março, estão abertas as inscrições para os museus brasileiros e diversas instituições culturais participarem da 18ª Semana Nacional de Museus.

A Semana é uma ação anual de promoção dos museus brasileiros, coordenada pelo Instituto Brasileiro de Museus, a fim de ampliar a celebração do Dia Internacional dos Museus (18 de maio). Nessa data, museus do mundo todo organizam eventos e atividades a partir de um tema proposto pelo Conselho Internacional de Museus (ICOM).

A Semana Nacional de Museus acontecerá de 18 a 24 de maio, tendo como tema “Museus para a Igualdade: Diversidade e Inclusão”.

“A importância da Semana Nacional de Museus e sua relação com a sociedade paraense se configura como espaço para troca de saberes e, sobretudo, contribui para a valorização e preservação da identidade e afirmação da história dos povos da Amazônia”, Dina Carla da Costa Bandeira, pedagoga no Centro de Ciências e Planetário do Pará Sebastião Sodré da Gama.

Segundo a coordenadora do curso de Museologia da Federal de Sergipe, Priscila de Jesus, o evento marca uma semana de diálogos sobre o futuro museal brasileiro e os caminhos para a melhora cotidiana dos museus, enquanto espaço de salvaguarda das memórias e da história da nossa sociedade.

Em breve, o texto referência que orientará os museus na definição de suas atividades será publicado no site do Ibram.

---

Museus Ibram em Goiás têm novo recorde de público em 2019

MASBM_Acao-educativa-768x576

O Museu das Bandeiras (Muban), o Museu de Arte Sacra da Boa Morte (MASBM) e o Museu Casa da Princesa, que integram a rede Ibram em Goiás, tiveram recorde de público pelo segundo ano seguido em 2019. Em conjunto, os três museus localizados na cidade histórica de Goiás e Pilar de Goiás foram visitados por 47.468 pessoas– um aumento de 26,98% em relação a 2018, quando recebeu 37.383.

Em 2019, o Museu das Bandeiras comemorou seus 70 anos de criação. Ao longo do ano, realizou os dez módulos do Programa de Formação do Muban, capacitando cerca de 200 pessoas. Foram também realizados e apoiados eventos, como o seminário Saberes das Mãos, Letras e Ofícios em comemoração aos 130 anos de Leodegária de Jesus e Cora Coralina. Além disso, o Muban promoveu cursos, estimulou pesquisas e realizou ações culturais e educativas com as escolas, o que totalizou 46,94% do público.  Como resposta, o público do museu em 2019 cresceu 7,51%, incluindo 85 pesquisadores.

O Museu de Arte Sacra da Boa Morte, em 2019, foi o que mais cresceu comparado ao ano anterior, um total de 37,31%. Este foi o maio público do MASBM desde a criação do Ibram. O sucesso de visitação se dá devido ao intenso trabalho da equipe técnica em popularizar o MASBM. Como estratégias, foram realizadas ações educativas com escolas, moradores da Cidade de Goiás, bem como, abertura regular da porta frontal, além de, participação nas atividades festivas da cidade, como a Semana Santa e o Nata.

O Museu Casa da Princesa, localizado na Cidade de Pilar de Goiás, comemorou um ano de reabertura com um crescimento de 12,74%. O museu possui uma característica diferente das demais instituições museais, 15,44% do seu público é composto por moradores da cidade. Entre as atividades que ajudaram a aquecer a visitação ao museu, estão a Semana Nacional de Museus, a Primavera dos Museus e as ações educativas realizadas com as escolas da região com o apoio da Prefeitura de Pilar de Goiás, por meio da secretaria municipal de educação.

Em conjunto, os três museus vêm desenvolvendo ações estratégicas para sua democratização. Para a direção dos museus, o aumento é o resultado do trabalho de uma equipe atenta, uma recepção calorosa, além de ações contínuas, diversas e o diálogo com a comunidade local, que auxilia e fortalece as atividades.

Em 2020, novidades serão desenvolvidas. Inicialmente com a capacitação da equipe, por meio do Seminário Interno dos Museus, que fortalecerá a segurança, o atendimento e o diálogo com o público. Além disso, os MASBM e Muban vão ter seus horários de visitação aumentados duas horas, visando atender os fluxos sazonais, bem como as demandas dos trabalhadores, estudantes e moradores da Cidade de Goiás. O Museu Casa da Princesa não terá alterações.

O Museu das Bandeiras abrirá nos meses fevereiro, março, abril, maio, agosto, setembro, outubro, novembro de terça a sábado das 9h às 19h e de janeiro, dezembro, junho e julho de quarta a domingo das 9h às 13h.

Já o Museu de Arte Sacra da Boa Morte funcionará normalmente nos meses fevereiro, março, abril, maio, agosto, setembro, outubro, novembro de terça a sábado das 8h às 18h e, no período de férias, janeiro, dezembro, junho e julho de quarta a domingo funcionará das 8h às 12h.

---

Força-tarefa recupera acervo histórico no Espírito Santo

forca tarefa de voluntarios para museus

No dia 23 de janeiro, técnicos da Secretaria da Cultura do Espírito Santo (Secult - ES), do Núcleo de Conservação e Restauração da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes) e restauradores estiveram no município de Iconha para atuar em uma força-tarefa para o salvamento do acervo do Espaço Cultural Zoé Rodrigues Misságia.

O espaço foi invadido pela lama após fortes chuvas de sexta-feira, 17 de janeiro, e teve parte do seu acervo perdido. No local funciona a Biblioteca Municipal, o Museu Histórico da cidade, duas galerias de arte, sala de ensaio para a banda municipal e sala do Instituto Histórico e Geográfico de Iconha.

Participaram da ação servidores, estagiários da Secult e do NCR/UFES e de profissionais restauradores que atuam no mercado capixaba e se dispuseram a colaborar voluntariamente neste trabalho. O grupo se organizou durante a semana para levantamento de materiais necessários para o resgate e discussões sobre procedimentos a serem adotados.

Foram levadas para a capital Vitória mais de 50 telas e diversos livros e documentos históricos que estão sendo identificados, estabilizados e recebendo higienização mecânica pela mesma equipe de voluntários no Núcleo de Conservação e Restauração da UFES, com apoio de técnicos do Arquivo Público do Estado do Espírito Santo e materiais disponibilizados pela UFES e pela Secult. O próximo passo será identificar projetos e fontes de recurso que viabilizem a execução do trabalho de restauração.

De acordo com a museóloga da Secult, Paula Nunes Costa, o acervo da Biblioteca Municipal foi totalmente perdido devido à contaminação pela lama. “Cerca de 95% das telas existentes nas duas Galerias de Arte foram identificadas e embaladas e 50% dos documentos do Instituto Histórico e Geográfico local foram selecionados para serem trazidos para Vitória. O acervo do Museu está sendo identificado pela própria equipe do espaço para posterior higienização”, disse.

Texto: Assessoria de Comunicação da Secult ES / Edição: Ascom Ibram

Emergência em Museus

O Instituto Brasileiro de Museus lançou em novembro de 2019 um sistema de cadastramento online de voluntários para atuarem no salvamento de bens culturais musealizados, em todo o território nacional, de forma a colaborar no enfrentamento dos problemas que exijam resposta imediata.

O Programa de Voluntários visa a mobilização de profissionais, estudantes e interessados no que se refere aos riscos ligados à preservação do patrimônio museológico.

Para inscrição, os candidatos ao posto de voluntário deverão preencher uma ficha na plataforma eletrônica Museusbr. O voluntário poderá atuar nas áreas como salvamento de coleções, serviços de proteção e segurança e executivo-logística, e indicar quais regiões do Brasil tem possibilidade/disponibilidade para trabalhar. Veja o passo a passo para se cadastrar no programa de voluntários.

 

Agendas

Mestrado em preservação do patrimônio cultural

O quê: O Centro Lucio Costa, escola do patrimônio do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, publica o 12° edital para a seleção de 10 vagas a alunos bolsistas para o mestrado profissional em Preservação do Patrimônio Cultural do Iphan. O mestrado profissional associa as práticas de preservação nas unidades da instituição, distribuídas no território nacional, ao aprendizado teórico-metodológico e à pesquisa.
Quando:  Os interessados poderão se inscrever até o dia 2 de março de 2020.
Onde: Edital
Informações:  mestrado.clc@iphan.gov.br

---

2° evento em honra a Sepé Tiaraju

O quê: O Conselho Municipal de Turismo de Missões e a Secretaria Municipal de Turismo de São Miguel das Missões irão homenagear o herói guarani, missioneiro e rio-grandense Sepé Tiaraju no "2° evento em honra a Sepé Tiaraju". Na ocasião, será realizada a palestra  “São Miguel das Missões de ontem e hoje” , bem como a apresentação de um documentário sobre as missões jesuíticas guarani.
Quando:  06 e 07 de fevereiro, das 19h às 21h
Onde: Câmara Municipal de Vereadores de São Miguel das Missões (R. Vinte e Nove de Abril, 111 | São Miguel das Missões – RS)
Informações: (55) 3381-1335

---

A museologia: história, evolução, questões atuais

O quê: A tradução da obra francesa de André Gob e Noémie Drouguet – La muséologie – chega ao Brasil pela FGV Editora para preencher a lacuna de obras atuais dedicadas à museologia. O livro mostra a interdisciplinaridade desta matéria e destaca as condições de equilíbrio entre as diferentes funções que o museu é chamado a exercer no seio da sociedade.
Onde: FGV Editora
Informações: (21) 3799-4427 ou 4428 | editora@fgv.br