Boletim eletrônico Nº 765 - Ano XVII - 10 a 14 de fevereiro de 2020

---

Últimos dias para participar da Consulta Pública sobre a ação de Fiscalização do Ibram

Consulta Publica

Interessados em participar da Consulta Pública sobre a minuta da Resolução Normativa que disciplina a ação de Fiscalização a ser desenvolvida pelo Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), têm até o dia 20 de fevereiro para enviar as suas contribuições.

A Consulta visa colher junto aos profissionais do campo museal e à sociedade em geral, contribuições para a construção do documento que será publicado nos próximos meses.

Entre as atribuições legais do Ibram, a atividade de fiscalização tem caráter obrigatório, estando prevista no art. 66 da Lei nº 11.904, de 14 de janeiro de 2009, no art. 4° da Lei n° 11.906, de 20 de janeiro de 2009 e nos arts. 44 a 58 do Decreto nº 8.124, de 17 de outubro de 2013.

O documento estabelecerá a atuação de servidores como fiscais; a elaboração de planos anuais de fiscalização; a interação e o intercâmbio com outras instâncias (municipais, estaduais e distrital). Para além do caráter coercitivo e punitivo das ações de fiscalização, a minuta da Resolução Normativa prioriza o viés educativo e preventivo da fiscalização.

Acesse a Minuta da Resolução Normativa que disciplina a ação de Fiscalização do Ibram e participe da construção desse documento, enviando o formulário com as suas sugestões para o e-mail consultapublica@museus.gov.br

Assista ao vídeo em que a diretora do Departamento de Processos Museais do Ibram, Carolina Villas-Boas, e o chefe da Divisão de Fiscalização, Ricardo Rosa, explicam mais detalhes sobre o tema.

---

Grupo Interministerial sobre Museus Federais se reúne no Ibram

GT interminiterial de museus federais

Na última quinta-feira, 6 de fevereiro, foi realizada no auditório do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), em Brasília, a primeira reunião do Grupo de Trabalho Interministerial sobre Museus Federais. Instituído pelo Decreto Nº 10.175, o Grupo de Trabalho teve seus integrantes nomeados pela Portaria Nº 21, de 22 de janeiro de 2020.

Na reunião, os integrantes do GT assistiram à uma apresentação sobre a plataforma Museusbr, onde são encontradas informações sobre todos os museus cadastrados pelo Ibram. Na apresentação, os participantes puderam verificar a necessidade de atualização desse cadastro, para garantir mais segurança nas informações sobre o campo e facilitar a comunicação com essas instituições.

O representante da Casa Civil Wagner Rosa da Silva ressaltou a importância da organização das informações sobre os museus federais, enfatizando a urgência da colaboração dos Ministérios que integram o GT. Além disso, Wagner destacou o protagonismo do Ibram na condução das reuniões dos grupos técnicos, com vistas a dar uniformidade aos trabalhos.

Uma nova reunião geral ficou agendada para o dia 10 de março. Esta será precedida de reuniões menores entre o Ibram e cada um dos Ministérios integrantes do GT. Tais reuniões terão como objetivo o refinamento das informações sobre as instituições museológicas vinculadas a cada Ministério.

A expectativa do GT é apresentar, até o início de maio, um primeiro plano para ser analisado em reunião integrada dos Grupos Técnicos e depois encaminhado para a apreciação do Tribunal de Contas da União.

Sobre o Grupo de Trabalho

O Grupo de Trabalho Interministerial sobre Museus Federais tem como objetivo a elaboração de estudos e proposição de medidas para a gestão dos museus, visando o aprimoramento da organização, gestão e preservação dos museus federais. Sua criação foi fruto de um esforço conjunto do Ibram com a Casa Civil da Presidência da República, visando fortalecer seu papel e atuação na resolução dos problemas dos museus federais.

A criação do GT teve como ponto de partida o Acórdão nº 1243/2019 do Tribunal de Contas da União que recomendou ao Ibram, a coordenação de um grupo de trabalho que identificasse os museus federais sujeitos a riscos mais acentuados. Saiba mais.

---

Acervo do Museu Regional de São João del Rei está disponível online

tainacan mrsjr

Nesta sexta-feira (07), o Museu Regional de São João del Rei (MRSJR/Ibram) disponibiliza gratuitamente todo o seu acervo museológico em uma plataforma online. O inventário com informações e fotos do acervo do museu passa a ser acessível por meio da plataforma Tainacan, no website da instituição.

Com dados completos sobre a coleção, as fichas catalográficas possuem informações detalhadas, como período, autoria, origem, matéria prima, informações de restauro, histórico e descrições – além de fotografias de variados ângulos, algumas em alta resolução.

Dentre as 30 unidades do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), o Museu Regional é o 13º a aderir ao projeto, se adequando assim à Resolução Normativa nº 2, de 2014, que faz parte da Política Nacional de Museus.

Inicialmente, o público terá acesso a 376 objetos, mas segundo o diretor substituto da instituição, Diego Felipe Garcia, este inventário online é apenas o primeiro passo do projeto. “Além do acervo museológico, a nossa intenção é disponibilizar também todo o acervo arquivístico com documentos e fotografias da região. Além de atualizar todas as fichas com fotos em alta qualidade.”

O acervo do MRSJR é composto por 484 objetos que reúnem aspectos políticos, sociais, artísticos e históricos que compõem, de forma geral, a identidade do povo mineiro e o contexto de formação do Estado. Reunido entre 1956 e 1963, o acervo possui uma variedade significativa de peças, que ilustram o cotidiano mineiro do século XVII ao início do século XX.

Há uma semana, o Museu Regional iniciou a segunda parte de serviços de infraestrutura. O novo trabalho tem como objetivo a execução dos seguintes projetos: elétrico, luminotécnico, sonorização, SPDA (sistema de proteção contra descargas atmosféricas) e telecomunicações. A previsão de término dos trabalhos é o segundo semestre de 2020.

Tainacan

A plataforma Tainacan é uma ferramenta digital voltada ao registro e divulgação de coleções museológicas. Desenvolvida pela Universidade Federal de Goiás (UFG), em parceria com a Universidade de Brasília (UnB) e com o Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (IBICT), o projeto tem como objetivo atender as necessidades de inventário e catalogação de acervos, bem como sua divulgação na internet.

Atualmente, 12 museus do Ibram disponibilizam seus utilizando a plataforma e até o final deste ano, outros sete museus Ibram estarão com suas coleções na rede mundial de computadores.

A plataforma Tainacan foi objeto de pesquisa do Curso de Museologia da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). A estudante Mônica Brogliatti Rocha, orientada pela professora doutora Renata Cardozo Padilha, analisou o AtoM e a plataforma Tainacan para escolher o melhor sistema digital para a documentação do acervo museológico do Núcleo de Estudos Açorianos – NEA, da UFSC.

Mônica Brogliatti Rocha, que também é bibliotecária, já havia utilizado outros softwares mais voltados para bibliotecas, como: Biblivre, Evergreen, Gnuteca, Koha, e PHL, e decidiu fazer o Trabalho de Conclusão do Curso - TCC de sua segunda graduação, com foco na utilização de softwares voltados para os Museus.

A pesquisa foi realizada mediante a aplicação dos critérios de qualidade de software, estabelecidos pela ISO-IEC 9621, e analisou seis características principais: Funcionalidade, Confiabilidade, Usabilidade, Eficiência, Manutenibilidade e Portabilidade, divididas em sub características.

Os resultados obtidos foram registrados em seu TCC, defendido em 26 de novembro de 2019, disponibilizado no repositório da UFSC.

Em 2019, o curso de Museologia da UFSC aderiu ao sistema para registro dos acervos do curso e das exposições curriculares elaboradas pelos alunos. No mesmo ano, docentes e técnica do curso auxiliaram na organização do evento “Seminário Acervos Culturais na rede: perspectivas para os museus e a Museologia” ocorrido em maio na UFRGS, em parceria também com a UnB, UFPel, Projeto Tainacan e Ibram. Neste ano de 2020, ocorrerá o segundo Seminário na UFSC.

---

Museu Nacional de Belas Artes sedia a mostra ‘Instituto dos Arquitetos do Brasil’

foto exposicao mnba

De 26 de janeiro a 08 de março, o Museu Nacional de Belas Artes (MNBA)/Instituto Brasileiro de Museus vai sediar a exposição “Instituto dos Arquitetos do Brasil – rumo ao centenário”.

Dentro da mostra, que conta parte da trajetória da arquitetura no Brasil, os organizadores buscaram revisitar os percursos vividos, com uma grande linha do tempo lembrando alguns dos fatos marcantes que configuram a história da instituição, com suas lutas históricas por cidades mais democráticas, mais inclusivas, mais justas, mais vibrantes e mais humanas e por espaços da vida cotidiana digna e plural. Ao fim da linha do tempo, suportes digitais dão espaço de fala àqueles que farão cidades de amanhã, com seus sonhos, seus desejos e suas bandeiras.

A exposição reúne obras de Le Corbusier, Ubi Bava, e Candido Portinari, entre outras,  pertencentes à coleção do MNBA,  além de acervos diversos.

O presidente do IAB-RJ, Igor de Vetyemy, assina a curadoria da exposição junto com a copresidenta de cultura Ligia Tammela e a Conselheira Superiora da Instituição, Cêça Guimaraens. Segundo Igor, essa atenção a um passado tão rico é essencial para se planejar o futuro do Instituto dos Arquitetos do Brasil (IAB).

“Um Instituto que chega ao seu centenário merece e precisa parar para olhar para trás, refletir sobre seus acúmulos e projetar seus caminhos para o futuro. Os objetos de memória que compõem esta exposição contextualizam aquele momento de fundação, prenúncio de uma revolução que se anunciava e eclodiria no ano seguinte, com a Semana da Arte Moderna e o Movimento que transformaria para sempre a identidade da Arquitetura Brasileira”, finaliza o presidente do IAB-RJ.

O MNBA funciona de terça a sexta, das 10h às 18h; sábados, domingos e feriados, das 12h às 17h.

---

Museu Imperial atinge recorde de público

79665341_2311456948959124_2711989247165857792_n

O Museu Imperial, unidade museológica do Instituto Brasileiro de Museus, possui o principal acervo do país relativo ao império brasileiro, em especial o chamado Segundo Reinado, período governado por d. Pedro II, reunindo cerca de 300 mil itens museológicos, arquivísticos e bibliográficos. Desde sua abertura ao público, em março de 1943, o Complexo do Palácio Imperial de Petrópolis já recebeu mais de 18 milhões de visitantes.

Em 2019, o Museu Imperial atingiu seu recorde histórico de público, com um total de 446.932 pessoas entre visitantes, participantes de eventos e pesquisadores presenciais. Em 2018, a unidade museológica recebeu um público de 400.570, isto é, um aumento de 46.362 visitantes.

Com cerca de 250 mil documentos, o Arquivo Histórico do Museu Imperial recebeu, em 2019, 224 pesquisadores presenciais. Outro setor muito requisitado para pesquisas é a Biblioteca, que possui um acervo de 60 mil títulos de história do Brasil, biografias e artes, e, no ano passado, foi consultada por 940 pessoas.

O setor de Educação do Museu Imperial, que promove visitas mediadas ao Palácio Imperial e atividades da Biblioteca Rocambole, voltada para o público infantil, atraiu 62.333 pessoas em 2019, entre estudantes e professores de escolas públicas e particulares.

Os eventos promovidos pelo Museu Imperial no último ano, que incluíram concertos, debates, filmes, seminários e palestras, somaram 9.121 participantes. Destaque para o filme “Nos Jardins do Museu Imperial – histórias vividas nos jardins do Imperador”, lançado na 13ª Primavera dos Museus, atraindo 369 espectadores durante a semana em que foi exibido no Cineteatro da instituição.

A Casa de Cláudio de Souza, seccional do Museu Imperial, desde 2011 recebe visitas guiadas e eventos culturais gratuitos. Em 2019, 6.925 visitantes conheceram a casa.

Museu Imperial funciona de terça a domingo, das 10h30 às 18h.

 

Agendas

Acessibilidade em museus

O quê: O Museu Histórico Nacional (MHN) promove a feira temática “Acessibilidade em museus”. Instituições públicas e privadas, organizações sociais da capital fluminense, além de uma instituição gaúcha, vão apresentar ações voltadas à acessibilidade.  Não é necessária a inscrição prévia para participar. A atividade acontece em sessão única e possui 15 vagas disponíveis por ordem de chegada.
Quando: 12 a 14 de fevereiro, das 10h às 15h
Onde: Museu Histórico Nacional (Praça Marechal Âncora, s/nº – Centro | Rio de Janeiro – RJ)
Informações: mhn.educacacao@museus.gov.br

---

Memórias do Reinado de Momo

O quê: Os pesquisadores da Universidade Federal da Bahia (UFBA), Professor Paulo Miguéz, vice-reitor da UFBA, e a coordenadora da pesquisa, doutora em Cultura e Sociedade, Caroline Fantinel, lançam em Salvador, na sexta-feira (14), o novo website do projeto e também vai contar com palestra, debate e a exibição do minidocumentário, obra visual inédita sobre o Clube Carnavalesco Embaixada Africana (séc. XIX) assinada pelo artista plástico baiano Anderson AC. Entrada gratuita.
Quando: 14 de fevereiro, a partir das 14h.
Onde: Museu de Arte da Bahia (Av. Sete de Setembro, 2340 - Corredor da Vitória | Salvador - BA)
Informações: (71) 3117.6902

---

Leve História para Casa

O quê: Com imagens emblemáticas do carnaval recifense das décadas de 1940 e 1950, mostra reúne 42 fotografias impressas em Fine Art em papel de algodão, que poderão ser adquiridas pelos visitantes. São registros em preto e branco de passistas de frevo, caboclinhos, reis e rainhas do Maracatu, caboclos de lança, desfile de blocos e muitos fantasiados. Entrada: gratuita
Onde: Museu da Cidade do Recife - Forte das Cinco Pontas (Praça das Cinco Pontas, s/nº - São José, Recife - PE)
Quando: Até o dia 03 de março. De terça a sábado, das 9h às 17h, e aos domingos e feriados, das 9h às 16h.
Informações: (81) 3134.3750

---

Cine Segall - 'Adoráveis mulheres'

O quê:  O Cine Segall, do Museu Lasar Segall, apresenta o filme “Adoráveis mulheres”. A história conta a história das irmãs Jo, Beth, Meg e Amy que amadurecem na virada da adolescência para a vida adulta enquanto os Estados Unidos atravessam a Guerra Civil. Com personalidades completamente diferentes, elas enfrentam os desafios de crescer unidas pelo amor que nutrem umas pelas outras.
Quando: 12 de fevereiro às 16h40
Onde: Museu Lasar Segall (Rua Berta, 111 | São Paulo – SP)
Informações:  (11) 2159.0400